(67) 99826-0686

Namoro partidário é indefinido: PSDB e seus dois partidos

10 FEV 2014
Marcelo Villalba
13h10min

De olho na corrida eleitoral, os partidos começaram a alinhavar suas alianças para definirem suas posições no cenário estadual e nacional. O PMDB, que é aliado ao Partido dos Trabalhadores tem se distanciado da presidente Dilma, e a não indicação para as substituições nos ministério causou estranheza nos bastidores.

Já o PSDB,  concorrente direto na disputa da presidência vai cobrar apoio dos correligionários estaduais, em Mato Grosso do Sul, o namoro do PT com o PSDB vêm desde seu afastamento com o PDMB nas eleições de 2012 para prefeito. No estado o PSDB se mostrou um forte candidato para ocupar a cadeira na sucessão do PMDB, mas como unidos são mais forte nenhum deles levou a melhor.

E para evitar que o fiasco aconteça os partidos devem se alinhar, e o PT marcando em cima para destruir o namoro antigo.  Pensando nisso o PSDB, vai aprovar amanhã uma resolução em que a palavra final sobre as coligações que integram as chapas deve ser da  cúpula do partido. O que  distância mais a estrela do tucano, em Mato Grosso do Sul.

Será que a individualidade dos partidos vai comprometer as eleições para a presidência, aqui no estado.

O PMDB de André Puccinelli, vai apoiar a candidatura da presidente Dilma. O deputado Reinaldo Azambuja (PSDB) quer uma cadeira no senado, só iria conseguir se houvesse um acorde entre o PT, já que o PMDB quer ser 'fominha' e levar o governo com a candidatura de Nelsinho Trand (PMDB) e o senado com Simone Tebet (PMDB) ou André Puccinelli. Mas como  tudo ainda é um mistério.  

Veja também