TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
domingo, 26 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Geral

No Equador, covid-19 mata quatro pessoas da mesma família em cinco dias

Paulina Carvajal perdeu o marido, o pai, a mãe e um irmão; ela e a irmã também tiveram a doença

25 maio 2020 - 10h17Por Rayani Santa Cruz

Em apenas 5 dias, o novo coronavírus tirou de Paulina Carvajal quatro das pessoas mais importantes de sua vida. Ela perdeu o pai, a mãe, o marido e um de seus irmãos antes que tivesse tempo de entender o que acontecia. A cidade equatoriana de Guayaquil estava sendo arrasada pelo vírus. E seu lar também. As informações são do R7.

Aos 39 anos, mesma idade que tinha o marido ao falecer, Carvajal é, talvez, o caso mais dramático do terremoto emocional e humanitário que viveu a cidade apelidada de "Pérola do Pacífico" entre a segunda quinzena de maio e a primeira de abril, com milhares de contágios e falecidos, muitos ainda não contabilizados.

"Todos aqui em casa tivemos o coronavírus, mas os mais prejudicados foram meu marido, que morreu no dia 25 de março junto com meu pai, e minha mãe, que morreu no dia 30 com meu irmão", relembra a jornalista  durante uma entrevista com a EFE, quase dois meses depois de viver a tragédia.

Cinco dias de dor

O calvário de Paulina começou na madrugada do dia 23 de março, quando seu marido, Michael González, que era diabético, começou a ter dificuldades para respirar. Após percorrer pronto-socorros, o marido dela conseguiu internação no dia 24 de março.

"Quando atenderam meu marido, ele já estava muito mal, quase não tinha sinais vitais, era desesperador. Ele só pedia oxigênio para respirar, mas não havia em lugar nenhum", lamenta ela.

Enquanto isso, Paulina recebeu um telefonema onde soube que o seu pai, Manuel Carvajal, de 77 anos, também tinha sido internado com problemas respiratórios. No hospital, o diagnóstico era de que 90% de seus pulmões estavam tomados pelo vírus. Manuel e Michael morreram no dia seguinte.

"Foi horrível, jamais imaginei que passaria por algo assim", diz ela.

Como se seu luto não fosse suficiente, poucos dias depois seu irmão Marco, de 51, e sua mãe Eduviges, de 71, começaram a apresentar sintomas de covid-19 e morreram pouco depois.