TJMS AGOSTO
Menu
Busca terça, 04 de agosto de 2020
Linha de frente - compet
Geral

Otan e Rússia se oferecem para colaborar no desarmamento químico da Síria

Tratado

23 outubro 2013 - 10h44Por Agência Brasil

 A Organização do tratado do Atlântico Norte (Otan) e a Rússia estão disponíveis para colaborar no desarmamento químico na Síria caso isso seja solicitado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq), disse hoje o secretário-geral da Otan, Anders Rasmussen.

“Conto que os membros do Conselho Otan-Rússia [um fórum de cooperação para assuntos  de segurança criado em 2002] vão responder de forma positiva se a ONU apresentar um pedido”, informou Rasmussen, em Bruxelas, na Bélgica, depois de discutir o assunto com os ministros da Defesa dos Estados-Membros da Otan e da Rússia, que não integra a Otan.

O representante da Aliança Atlântica assegurou que os países têm registrado o apelo amplo da ONU para que a comunidade internacional contribua nos trabalhos de controle e de eliminação do arsenal de armas  químicas do regime sírio. Ele admitiu, no entanto, ainda ser prematuro falar sobre o tipo de contribuição que cada parte oferece e se tal apoio seria feito de forma coletiva ou individual.

Independentemente das eventuais contribuições, o secretário-geral da Otan ressaltou que as Nações Unidas e a Opaq devem continuar a liderar o processo de desarmamento e assegurar o cumprimento da resolução do Conselho de Segurança da ONU, cuja total implementação é considerada vital para a organização e para a Rússia.

Uma equipe de inspetores chegou à Síria no início de outubro para supervisionar a aplicação da Resolução 2.118 do Conselho de Segurança da ONU, que determina a destruição do arsenal químico sírio até o final de junho de 2014. Até ao momento, a missão esteve em 17 locais de armazenamento ou produção de armas químicas e, em 14 desses locais, foi feita a destruição de equipamentos para impedir que voltem a ser utilizados, segundo informação divulgada pela Opaq na segunda-feira (21). Até o dia 1º de novembro, os peritos esperam ter verificado todas as informações fornecidas pelo regime sobre o seu programa de armas químicas.

Leia Também

Marquinhos garante: não há necessidade de fechar tudo em Campo Grande
Cidade Morena
Marquinhos garante: não há necessidade de fechar tudo em Campo Grande
Enquanto presos enviam cartas pedindo socorro, filho de desembargadora retorna ao conforto do lar
Polícia
Enquanto presos enviam cartas pedindo socorro, filho de desembargadora retorna ao conforto do lar
Bombeiros socorrem morador atingido na cabeça com facão em aldeia de Dourados
Interior
Bombeiros socorrem morador atingido na cabeça com facão em aldeia de Dourados
Beirute tem explosão em área próxima ao porto
Geral
Beirute tem explosão em área próxima ao porto