TCE MAIO
(67) 99826-0686

Pais de feto com dois cérebros se negam a interromper a gravidez

Aconteceu na Austrália

11 FEV 2014
Terra
20h00min
(Foto: Reprodução/Internet)

Apesar dos conselhos para interromper a gravidez, os pais de um feto com dois cérebros e duas faces estão desafiando os médicos. Segundo os especialistas, além de haver um grande risco de a criança não ter muitos anos de vida e de ela ser encarada como uma aberração pela sociedade, o tratamento ao qual ela teria de ser submetida caso sobrevivesse é muito caro.

Segundo informações divulgadas pelo jornal Daily Mail, mesmo com os alertas, Renee Young e Howie Simon não pretendem mudar de ideia. Eles disseram que ficaram chocados quando um ultrassom revelou que os gêmeos que eles estavam esperando, na verdade eram apenas uma criança, mas com duas faces perfeitamente simétricas com uma duplicação exata de olhos, nariz e boca e dois cérebros conectados a um tronco cerebral.

Por imagens tridimensionais é possível ver que a criança, agora com 19 semanas, está saudável, tem todos os órgãos vitais, duas pernas, dois braços e um só corpo. A atividade cerebral também está boa em ambosos os cérebros. A condição do feto, uma forma extrema de gêmeos siameses conhecidos como hiperidrose craniofacial ou diprosopus, é tão rara que apenas 35 casos já foram registrados em todo o mundo. Em nenhum desses casos, o feto sobreviveu.


Os pais, que vivem no subúrbio de Sydney, declararam que uma forte base familiar poderia proteger a criança, não importa quais sejam as deformidades que ela apresente. Howie Simon, pai de sete crianças, se recusou a interromper a gravidez por razões morais: “Nós pensamos que é o mesmo que criar uma criança com autismo ou síndrome de down, não acho que seja certo abortar um feto que está crescendo bem e saudável”.


Na história, o último caso conhecido de diprosopus foi o nascimento do bebé Lali em 2008, em uma aldeia na Índia. A criança morreu dois meses após o nascimento depois de sofrer uma parada cardíaca.

Veja também