(67) 99826-0686
Origem - entregas

Ponte Preta perde para o Lanús e adia título inédito

Desperdício

12 DEZ 2013
Redação
10h50min
Foto: Victor R. Caivano

Ainda não foi desta vez que a torcida da Ponte Preta pôde soltar o grito de "é campeão". Com 113 anos de história e nenhum título de expressão, o time de Campinas fez nesta quarta-feira a partida mais importante de sua trajetória e acabou derrotada por 2 a 0 pelo Lanús na segunda partida da final da Copa Sul-Americana. Ayala e Blanco fizeram os gols do título argentino e levaram ao delírio o público no estádio La Fortaleza, em Buenos Aires.

A vitória do Lanús só foi benéfica para um time brasileiro, o Botafogo. Quarto colocado no Brasileirão, os cariocas perderiam a vaga na Copa Libertadores do ano que vem caso a Ponte saísse vitoriosa, o que não aconteceu.

Os quatro mil torcedores pontepretanos que foram à Argentina esperavam ser testemunhas da primeira conquista do clube. Após o empate por 1 a 1 no Pacaembu, uma simples vitória seria suficiente. Mas antes mesmo de a bola rolar, eles já devem ter sentido a força dos fanáticos argentinos, que, assim como os torcedores da Macaca na semana passada, não pararam de cantar um minuto. 

Em campo, a Ponte Preta não teve o lateral esquerdo Uendel, suspenso. Sem opções, Jorginho teve que improvisar e o volante Fernando Bob foi o escolhido, cedendo sua vaga no meio para Magal. E foi justamente por esse setor que os argentinos conseguiram as melhores chances.

No começo, a Macaca bem que tentou buscar o jogo e teve a oportunidade que tanto queria com sua principal arma. Para quem não escondeu de ninguém que jogaria fechada e por uma única bola, uma chance para Fellipe Bastos cobrar uma falta na entrada da área poderia ser um bom sinal. A pontaria do herói da primeira partida não estava tão apurada e a bola passou ao lado do gol de Marchesin.

O plano montado por Jorginho, porém, não era o mesmo do Lanús. Os argentinos, apoiados por sua torcida, queriam evitar a prorrogação e trataram de acelerar o ritmo do jogo. Pelo lado esquerdo da defesa brasileira, Blanco era quem mais levava perigo. Aos 24, Ayala tabelou com o atacante e já dentro da área só teve o trabalho de desviar para o fundo do gol de Roberto. 

O gol não mudou em nada a postura da Ponte, que continuou recuada e em busca de um gol para levar a partida para o tempo extra. O segundo castigo veio no fim da primeira etapa. Após escanteio, Blanco aproveitou o rebote e aumentou o placar para os argentinos. Um prêmio para o melhor jogador da partida.

Jorginho foi expulso pouco antes do intervalo e precisou ver o segundo tempo das arquibancadas. As mudanças feitas por ele (Adailton, Willian e Ferrugem nas vagas de Magal, Rildo e Artur) pouco surtiram efeito. Pertinho da torcida adversária, o técnico não viu o seu time reagir e ainda precisou ouvir o grito de 'olé', que começou aos 27 minutos.

Roberto, outro herói da campanha pontepretana, teve que trabalhar e salvou dois gols certos do Lanús, evitando um placar ainda mais elástico. O sonho, no entanto, já tinha acabado. 

O título da Ponte apagaria o rebaixamento no Brasileirão. Já o Lanús vai embalado e com chances de conquistar o titulo do Torneio Apertura, espécie de primeiro turno do Campeonato Argentino. 


Veja também