TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Geral

População em situação de rua recebe orientações em Campo Grande

15 maio 2016 - 16h11Por Comunicação PMCG

Com vistas a informar a sociedade sobre serviços especializados destinados à população em situação de rua, a Prefeitura de Campo Grande, por intermédio da SAS (Secretária Municipal de Políticas, Ações Sociais e Cidadania) realizou na manhã deste sábado (14.05) uma ação educativa, desencadeada, simultaneamente, em diversos locais que possuem sinais de convivência com esta parcela da população, na região central da cidade.



Durante a atividade, foram distribuídos panfletos informativos, cartazes e feitas abordagens do Seas (Serviço Especializado em Abordagem Social). Também participaram diversos Cras (Centro de Referência de Assistência Social), com trabalho de conscientização junto às famílias de suas regiões, orientando-as a não doarem dinheiro. Para os técnicos, tal atitude contribui para que essas pessoas permaneçam nas ruas, em situação de vulnerabilidade social, perpetuando a pobreza.



A titular da SAS, Marcela Rodrigues Carneiro enfatizou a relevância da ação, principalmente por contribuir para que a sociedade reflita sobre o tema. “A conjuntura é delicada, infelizmente a sociedade pensa que tal população continua nas ruas por vontade própria. A gestão do prefeito Alcides Bernal é cuidadosa com o tema, pois muitos passam por riscos nas ruas. Ainda tem a questão do uso de substâncias ilícitas, gerando a ruptura do vinculo afetivo. A sociedade precisa entender que nenhuma pessoa é feliz morando nas ruas”, pontua Marcela.


O Seas oferece seus serviços à População em Situação de Rua, diuturnamente. As abordagens acontecem por meio da sensibilização. É o que explica a diretora de Proteção Social Especial (DPE), Inara Luiza. “O Seas busca aproximação com este público, procurando a construção dos vínculos de confiança entre a equipe e os usuários. Para isto, são utilizadas diversas estratégias, que permitam aos mesmos enxergarem novas possibilidades e projetos de vida, para que os mobilizem na inserção de alternativas disponíveis na rede, respeitando suas decisões. A população em situação de rua são incluídas em nossas unidades, tais como Centro POP (Centro Especializado em Atendimento a População em Situação de Rua) e Cetremi (Centro de Triagem do Migrante) realizando o acolhimento necessário”, explica Inara.

José Rodrigues afirma estar nas ruas desde dezembro de 2015. "Viver na rua não é agradável. Tenho esperança em sair, ter um emprego. Já fui atendido pelo Centro POP, onde fui bem tratado, infelizmente volto pras ruas, pois existem facilidades, sou usuário de substâncias psicoativas e etílica. Por isso, é difícil sair", explica José de 47 anos, que foi encaminhado para o Centro POP, por intermédio da abordagem dos educadores sociais do Seas.

O comerciante Osvaldo Correa acredita que o trabalho da prefeitura contribui para diminuição da população em situação de rua. "O trabalho que o poder executivo municipal realiza é muito valoroso, pois todo ser humano erra e tem a possibilidade de ter a segunda chance. É um terror saber que muitos permanecem nessa situação, em função de substâncias ilícitas", opina o comerciante.



A equipe que atende a população em situação de rua fica impossibilitada de tomar qualquer decisão sobre o indivíduo contra sua vontade, pois está preconizado na Constituição Federal o direito de ir e vir (“Todo cidadão tem direito de se locomover livremente nas ruas, nas praças, nos lugares públicos, sem temor de ser privado de locomoção”, Constituição Federal de 1988 art 5°, inc. XV)”. Por isto, o trabalho é realizado por meio da sensibilização.



A ação desse sábado atendeu 11 pessoas em situação de rua, que foram encaminhadas para unidades referentes ao atendimento. Entre os meses de janeiro e maio, deste ano foram atendidas cerca de 300 pessoas, pelo Seas. Os pontos de abordagem foram as regiões próximas ao Mercadão Municipal, Praça Santo Antônio, Praça Ary Coelho e antiga rodoviária.



Sobre o Seas



Conforme a Tipificação dos Serviços Socioassistenciais - resolução 109, de 11 de novembro de 2009,o Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) é ofertado de forma continuada e programada, com a finalidade de assegurar trabalho social de abordagem e busca ativa que identifique nos territórios a incidência de trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua, dentre outras. Nessa direção, o serviço oferta atendimento a crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos e famílias que utilizam espaços públicos, como forma de moradia, ou sobrevivência. 



São considerados como espaço de desenvolvimento de suas ações, praças, entroncamento de estradas, fronteiras, espaços públicos onde se realizam atividades laborais, locais de intensa circulação de pessoas e existência de comércio, terminais de ônibus, e outros. Este serviço representa uma importante forma de acesso das pessoas em situação de rua à rede de serviços socioassistenciais e das demais políticas públicas, na perspectiva da garantia dos direitos. Lembrando que Seas funciona por 24h, acionando o telefone 8405-9528, contando com uma equipe psicossocial.



Sobre o Centro POP



O Centro Pop oferta Serviço Especializado para pessoas em situação de rua, de acordo com a Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais. A unidade representa espaço de referência para o convívio grupal, social e o desenvolvimento de relações de solidariedade, afetividade e respeito. O espaço deve proporcionar vivências para o alcance de sua autonomia, organização e participação social. No local, também são oferecidas condições de compostura à pessoa em situação de rua, como higienização e alimentação.