TCE MAIO
(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Semana da Valorização das Pessoas com Deficiência começou hoje no Senado

Solidariedade

3 DEZ 2013
Redação
19h30min
Foto: Jonas Pereira

O presidente do Senado, Renan Calheiros, abriu na tarde de hoje, (3) os eventos da Semana da Valorização das Pessoas com Deficiência. Ele lembrou que há oito anos o Senado incentiva e comemora a data promovendo melhorias em sua estrutura para dar mais acessibilidade e inclusão. Renan destacou 30 ações da Casa, como rampas nos prédios e no Plenário, cursos de libras e produção de material em braile. Ele também elogiou a regulamentação da aposentadoria para esse grupo de brasileiros, sancionada hoje.


A abertura da Semana teve também a presença dos senadores Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Paulo Paim (PT-RS) e Ana Rita (PT-ES), que preside a Comissão de Direitos Humanos do Senado. Convidada para a solenidade, no auditório do Interlegis, a atriz Bruna Linzmeyer, que interpreta uma autista chamada Linda na novela “Amor à Vida”, da Rede Globo, falou sobre a importância do diagnóstico precoce do autismo, detectado geralmente nos primeiros três anos de vida.


"O autismo é uma condição diagnosticada em cerca de 500 mil brasileiros que devem sempre ser considerados como cidadãos ", disse Bruna.


A senadora Ana Rita elogiou o trabalho da atriz e sublinhou a visibilidade que sua personagem tem dado ao dia a dia do autista, com seu desafios de conviver com a família e os amigos – também personagens da trama.


Ao exemplificar esses desafios diários das pessoas com deficiência, o senador Paim contou a luta da irmã, que ficou cega na juventude e viveu com ele vários anos e faleceu aos 53.


"Eu acompanhei o dia a dia da minha irmã e as dificuldades que enfrentou por toda a vida", comentou o senador, autor do Estatuto da Pessoa com Deficiência, em tramitação na Câmara dos Deputados.


Ambos ressaltaram a importância da legislação para proteger pessoas com deficiência. Ana Rita falou especificamente da legislação que equipara os autistas às pessoas com deficiência quanto aos direitos civis. Ao comentar os avanços nas leis brasileiras, ela definiu como marco a assinatura, pelo Brasil, da Convenção das Nações Unidas para a Pessoa com Deficiência, em 2008. Para a senadora, houve mudança dos paradigmas porque os direitos passaram a ser assegurados e garantidos pelo Estado e as pessoas deixaram de ser tratadas como “coitadas” para serem legítimas detentoras desses direitos.


Fonte: Agência Senado

Veja também