TCE JUNHO 2022
PREF MARACAJU JUNHO REFIS 2022
Menu
quarta, 29 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Geral

TRETA DIVINA: Edir Macedo luta para ex-aliado não usar símbolos e o nome 'Jesus Cristo' em igrejas

Romualdo Panceiro era considerado o 'número 2' da Igreja Universal e rompeu em 2018

22 julho 2020 - 16h15Por Thiago de Souza

O bispo Edir Macedo entrou na Justiça para impedir que seu ex-aliado, o igualmente bispo Romualdo Panceiro, utilize símbolos que eram da Igreja Universal do Rio de Deus. Entre eles estão a pomba branca e o nome ‘’Jesus Cristo’’. 

Panceiro era considerado ‘’o número 2’’ da Universal e tido como sucessor de Macedo, quando este falecesse. No entanto, Romualdo rompeu com Macedo, em 2018, após 30 anos na IURD. Edir Macedo o acusou de adultério. 

A briga se dá porque Romualdo, assim como ex-pastores e ex-bispos da Universal, abriu sua própria igreja: a Igreja das Nações do Reino de Deus. O fato de usar a pomba branca como símbolo e o nome ‘’Jesus Cristo’’ levou os dois a uma batalha judicial. 

Romualdo foi acusado de adultério. (Foto: Reprodução Redes sociais)

A Universal entrou, então, com uma ação na 1ª. Vara Empresarial e de Conflitos Relacionados à Arbitragem do Fórum Cível de São Paulo reivindicando o direito de imagem.

A igreja de Macedo afirmou ter o registro das marcas "Universal", "Universal Igreja do Reino de Deus", "Universal Jesus Cristo é o Senhor" e "Reino de Deus".

Também disse que Panceiro utilizou "indevidamente" as marcas e outros símbolos da Universal, como "Jesus Cristo" e "Pomba", segundo o texto da ação judicial, para "solicitar doações de fiéis por meio de depósitos bancários, induzindo-os a erro".

A Universal requereu a concessão de tutela de urgência para que Romualdo e a Igreja das Nações "se abstenham imediatamente de utilizarem indevidamente e de maneira não autorizada o nome, imagem e marcas registrada da entidade religiosa", a fim "de obter vantagem econômica indevida ao induzir fiéis".

A juíza Paula da Rocha e Silva Formosa, no entanto, indeferiu a imediata suspensão do uso do nome. Panceiro disse na terça-feira (21), por meio de um porta-voz, não ter sido notificado oficialmente.