Menu
Busca segunda, 01 de junho de 2020
Gov - Compre de Casa
In Memoriam

Um dos principais pilotos do Pantanal, Dilson Franco Barros morre aos 69 anos

Ele estava internado no Hospital da Unimed em Campo Grande onde tratava uma pneumonia

08 fevereiro 2019 - 11h40Por Da redação / O Pantaneiro

 Um dos principais pilotos de avião do Pantanal, Dilson Franco Barros morreu na tarde de ontem (7) aos 69 anos. Ele estava internado no Hospital da Unimed em Campo Grande onde tratava uma pneumonia.

Segundo apurado pelo jornal O Pantaneiro, o corpo e velado na Capela da Pax Universo em Aquidauana. Já o sepultamento está previsto para ocorrer nesta sexta-feira (8).

Trajetória -  Dilson ingressou aos 19 anos na base aérea em Campo Grande. Após o período básico foi para o Campo de Marte em São Paulo fazer o curso de piloto e mecânico de avião.

Em 1976 já piloto retornou para Aquidauana e começou a pilotar aviões por todo Pantanal. Ele exerceu a carreira de piloto por mais de 30 anos e também a função de checador de piloto civil do Estado.

Além disso, foi presidente do aeroclube de Aquidauana por mais de 20 anos. Dentre os trabalhos que exerceu se destaca o transporte de artistas da novela Pantanal e piloto para Embrapa no projeto censo do jacaré do Pantanal- apenas para esse trabalho com a Embrapa foram mais de 200h de voo).

Porém, há 20 anos Dilson foi diagnosticado com mal de Parkinson, doença que o forçou a abandonar a carreira de piloto. Já há 6 anos também foi diagnosticado com demência e mal de Alzheimer.

Leia Também

Campo Grande vive tarde geladinha e chuva está armada para esta terça
Cidade Morena
Campo Grande vive tarde geladinha e chuva está armada para esta terça
Homem é preso por mandar vídeos pornô para garoto de 11 anos em MS
Interior
Homem é preso por mandar vídeos pornô para garoto de 11 anos em MS
Dória proíbe manifestações a favor e contra Bolsonaro no mesmo dia
Geral
Dória proíbe manifestações a favor e contra Bolsonaro no mesmo dia
OMS ALERTA: pico da covid-19 ainda não chegou ao Brasil
Geral
OMS ALERTA: pico da covid-19 ainda não chegou ao Brasil