(67) 99826-0686
Gov - Agosto Lilas 09 a 24/08

“Uma pessoa muito à frente de seu tempo”, diz Beto Figueiró sobre a mãe

Fundadora do Hospital do Câncer de Campo Grande morreu aos 85 anos

7 JUN 2019
Maressa Mendonça
11h44min
Sarah e o filho Beto Figueiró Foto: Arquivo Pessoal

“Uma pessoa muito à frente de seu tempo”. A definição foi dada por Humberto Sávio Abussafi Figueiró, o Beto Figueiró, ao se referir a mãe, Sarah Abussafi Figueiró, que morreu esta semana aos 85 anos. Ela foi uma das fundadoras da rede feminina de combate ao câncer em Mato Grosso do Sul e idealizadoras do Hospital de Câncer de Campo Grande - Alfredo Abrão.

À reportagem do TopMídiaNews, Humberto Abussafi contou que Sarah foi filha de imigrantes libaneses que vieram para o Brasil em 1912. Em Campo Grande, eles moraram no cruzamento da Rua 14 de Julho com a General de Melo. Sarah casou-se com e teve seis filhos: Haroldo, Ernesto, Rita, Maísa, Dib Jorge e Humberto Abussafi.

Emocionado, Humberto contou que a mãe “desde moça sempre se preocupou com o bem ao próximo”.  Esta característica foi confirmada quando ela, juntamente com a médica Geni Nakao, fundou a Rede Feminina de Combate ao Câncer e posteriormente conseguiram construir o Hospital de Câncer de Campo Grande - Alfredo Abrão.  “Teve a vida toda dedicada à filantropia”, completou Humberto.

Ainda segundo ele, Sarah foi presidente da Associação dos Profissionais das Artes Plásticas e depois da Associação dos Profissionais de Dança. “Mesmo não sendo parte integrante destas categorias sempre usou o prestígio e a força pessoal que ela tinha para desenvolver os segmentos artísticos. Sempre esteve focada em benefício da cultura no nosso estado”.

Esta preocupação, segundo Humberto, começou na década de 70, quando “ninguém falava em artes em MS. Era um estado absolutamente bovino. Ela tinha essa preocupação”.

Sarah morreu na quarta-feira deixando 16 netos e, para Humberto, “uma trajetória coroada de amizade”.

Veja também