Menu
Busca sexta, 15 de novembro de 2019
Interior

Belgo Arames faz parceria com a ONG Panthera Brasil para preservação da onça-pintada

Empresa auxilia através da instalação e avaliação das cercas elétricas em fazendas da instituição no Pantanal

07 novembro 2019 - 16h36Por Diana Christie

A Belgo Bekaert Arames e a ONG Panthera fecharam parceria para a preservação da onça-pintada no Pantanal através da instalação e avaliação das cercas elétricas em fazendas da instituição não-governamental.

Para este projeto, foram eletrificados três piquetes nas proximidades da sede da fazenda Jofre Velho, Pantanal Norte, região do Porto Jofre – Poconé/MT, em área de 20 hectares. Nesses piquetes são mantidos grupos de animais mais vulneráveis, como bezerros recém-desmamados.

Com 10 mil hectares, o propósito da propriedade é a conservação e pesquisa da onça-pintada. Esse trabalho envolve várias iniciativas: a Jofre Velho conta com escola para a comunidade, é reconhecida pelo trabalho de pesquisa ligado à ecologia e conservação da onça-pintada, realiza periodicamente experimentos com estratégias para prevenção e diminuição dos ataques ao gado – incluindo o uso de cercas elétricas – e tem parceria com guias de turismo para desenvolver boas práticas de turismo na observação de onça-pintada no Pantanal.

Segundo os pesquisadores da ONG Panthera Brasil, Rafael Hoogesteijn (supervisor da fazenda e da Panthera Brasil) e Fernando Tortato (biólogo responsável), já estão em funcionamento em outras fazendas do Pantanal (assessoradas pela Panthera Brasil e o Instituto do Homem Pantaneiro) sistemas de cercas elétricas com desenho antidepredação com resultados muito positivos.

A iniciativa foi inspirada em estudo de Sandra Cavalcanti, Peter Crawshaw e Fernando Tortato, com foco na predação e no comportamento de onças-pintadas. O trabalho envolveu a instalação de cercas elétricas em parte do perímetro de uma propriedade rural no Pantanal (Corumbá, MS) e em zoológicos de São Paulo (Sorocaba e Guarulhos).