Menu
Busca quarta, 08 de julho de 2020
MS DIGITAL - COMPET
Interior

'Chama no zap': aplicativo será usado para intimação e videoconferência em Brasilândia

WhatsApp pode ser utilizado para fazer intimações das partes envolvidas no processo, como advogados, conselheiros tutelares, defensores públicos, entre outros

12 junho 2019 - 17h14Por Da redação/TJMS

Em tempos em que a tecnologia está em todos os lugares e conectando pessoas, a utilização de aplicativos de comunicação tem ajudado instituições a prestarem um serviço mais eficiente e rápido. É o caso do Poder Judiciário na comarca de Brasilândia, que regulamentou a intimação por meio do aplicativo WhatsApp. Também será possível a realização de videochamadas em audiências de conciliação.

A iniciativa foi do juiz em substituição na comarca, Rogério Ursi Ventura. A ferramenta pode ser utilizada para fazer intimações das partes, advogados, conselheiros tutelares, defensores públicos, delegados de polícia, procuradores, promotores de justiça e demais membros de entidades que mantenham contato com o Poder Judiciário.

A intimação, via aplicativo WhatsApp, será oferecida como ferramenta facultativa, e será considerada efetivada a partir da confirmação do destinatário, sendo que a contagem dos prazos correrá na forma da legislação vigente, devendo o servidor responsável certificar a data e horário da comunicação. Caso não haja a confirmação de recebimento pela parte, a unidade judiciária providenciará a intimação, no prazo de três dias, por outro meio idôneo.

Junto com a mensagem, será encaminhada a imagem do documento, que contém a identificação do processo e das partes. A imagem de perfil do WhatsApp será, obrigatoriamente, a arte gráfica do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, para permitir a identificação. Também ficou definido que será utilizado aparelho celular destinado à secretaria da unidade judiciária exclusivamente para esse fim, sendo proibida a utilização para finalidade diversa.

Também poderá ser feita videochamada para realização das audiências de conciliação em que a parte requerida resida em comarcas de outros estados. O procedimento é semelhante às videoconferências, que já foram utilizadas pelo Poder Judiciário de MS até na realização de julgamento do Tribunal do Júri.

A utilização deste recursos em Brasilândia está sendo implementada pelo chefe de cartório Eder Francisco Franzin, e pelo assistente de TI, Eder Paulo Cavalcante da Silva. A regulamentação foi feita por meio de uma ordem de serviço, assinada pelo juiz Rogério Ursi Ventura.

Leia Também

Dono de carro alugado em 2019 encontra veículo depenado em barracão de Dourados
Interior
Dono de carro alugado em 2019 encontra veículo depenado em barracão de Dourados
PF vai investigar colunista da Folha que torce para Bolsonaro morrer de covid
Geral
PF vai investigar colunista da Folha que torce para Bolsonaro morrer de covid
ABSURDO! Indígena sofre aborto e hospital entrega feto em garrafa de plástico
Geral
ABSURDO! Indígena sofre aborto e hospital entrega feto em garrafa de plástico
SE PREPARE: temperatura cai 6º C nos próximos dois dias em Campo Grande
Cidade Morena
SE PREPARE: temperatura cai 6º C nos próximos dois dias em Campo Grande