Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Interior

Demissões superam contratações pelo quarto mês consecutivo em Corumbá

27 outubro 2015 - 09h45Por Diário Corumbaense

A recessão econômica que assola o Brasil vem provocando reflexos negativos na economia de Corumbá. Pelo quarto mês consecutivo o total de demissões superou o de contratações formais na cidade. Ao longo dos últimos doze meses foram, em média, quase duas demissões por dia. É o que aponta o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) com base na análise dos números apurados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O mercado de trabalho formal corumbaense cortou 661 vagas de carteira assinada nos últimos doze meses até setembro. Esse total dá média diária de 1,81 dispensa por dia. As mais de 660 dispensas é diferença entre a quantidade de contratações e demissões de trabalhadores no período de apuração dos dados. Nesta faixa de tempo, Corumbá contabilizou 5.952 demissões e 5.291 contratações gerando a balança negativa na geração de empregos com carteira assinada.

Dos quase setecentos cortes, no período estudado, o setor de Serviços foi o que mais dispensou mão de obra. Foram 397 cortes feitos pelo segmento, que contabilizou 2.139 demissões e 1.742 contratações ao longo dos últimos doze meses. Logo depois aparece o setor Extrativo Mineral que cortou 225 vagas de trabalho. Contratou 70 e demitiu 295 trabalhadores.

O melhor desempenho, entre os oito setores econômicos estudados, foi encontrado na Agropecuária, que gerou 86 vagas de trabalho. Dispensou 1.281, mas contratou 1.367 pessoas com carteira assinada. O comércio foi o outro segmento que teve saldo positivo, mantendo 17 vagas de trabalho. Os demais apresentaram saldo negativo.

Quando se leva em consideração somente este ano – de janeiro a setembro – o resultado segue no vermelho. Nos primeiros nove meses de 2015 o mercado viu o fim de 143 vagas de trabalho formal. Foram admitidos 4.027 trabalhadores, mas 4.170 perderam o emprego.

A análise mensal dos números apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados continua mostrando a fase difícil pela qual passa a economia. Na cidade, somente em setembro foi registrado o corte de 60 postos de trabalho. Foi o quarto mês consecutivo de saldo negativo nas vagas de carteira assinada. Ao todo, foram 447 demissões em setembro frente a 387 admissões. No mês passado quem mais demitiu foi o ramo de Serviços, que contabilizou 196 dispensas.


O Cadastro

O Caged - criado pela Lei nº 4.923/65 - é um registro administrativo que acompanha e fiscaliza o processo de admissão e dispensa de trabalhadores regidos pela CLT, em todo o país. As empresas encaminham os dados mensalmente, pela internet, ao Ministério do Trabalho e Emprego. As informações se referem aos municípios e às atividades econômicas. Servem de suporte a várias políticas de emprego. Como a pesquisa só mede o emprego com carteira assinada, o Caged exclui as informações sobre o desemprego informal, que aparecem nas demais pesquisas de desemprego.

São analisados dados referentes aos setores de Serviços, Comércio, Agropecuária, Indústria de Transformação, Construção Civil, Extrativa Mineral, Indústria de Utilidade Pública e Administração Pública.