TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Interior

Município de MS treina detentos em operação tapa-buracos

Convênio permite trabalho sob supervisão

03 outubro 2018 - 19h21Por Assessoria

Depois de celebrar convênio para detentos fazerem serviços de reparos em escolas da rede municipal, a Prefeitura de Dourados está desenvolvendo um programa de treinamento, envolvendo cerca de 30 reeducandos do Sistema Semiaberto, em ações que integram a operação tapa-buracos realizada em diferentes pontos da área urbana da cidade.

De acordo com o secretário Joaquim Soares, da Semsur (Secretaria municipal de Serviços Urbanos), esse treinamento terá duração de aproximadamente 20 dias, após convênio firmado com a interveniência da Vara de Execuções Penais da Comarca. Depois desse período, os internos deverão ser efetivados na função. "Por enquanto, eles estão sendo treinados para aprender como se dimensionam os buracos, o tipo de massa que deve ser aplicada e a melhor forma de realizar a ação", afirmou Joaquim Soares.

Os trabalhos de tapa-buracos foram reiniciados no quadrilátero central da área urbana e estão concentrados, atualmente, em trechos das ruas Cuiabá, Monte Alegre, Antônio Emílio de Figueiredo, nas imediações da Cassems e no entorno do Terminal Rodoviário ‘Renato Lemes Soares’.

O secretário de Serviços Urbanos disse que essa operação deverá ser intensificada, aproveitando o intervalo do período chuvoso e considerando a necessidade de atacar, em várias frentes, para reduzir o impacto dos estragos causados na já deteriorada malha asfáltica. "Depois, nós vamos levar o mesmo serviço para os bairros", anunciou Soares.

Nas escolas

O convênio firmado em agosto, conforme o secretário municipal de Educação Upiran Gonçalves, prevê que os reeducandos que irão trabalhar serão previamente selecionados e trabalharão sob a supervisão de profissionais com experiência.

Pais criticaram a decisão e temem riscos às crianças. "A comunidade escolar não estará sendo exposta. Iremos trabalhar com pessoas em regime de semiaberto que já progrediram no cumprimento de suas reprimendas e serão profissionais", disse o secretário na época.