Menu
domingo, 24 de outubro de 2021 Campo Grande/MS
Interior

Polícia recupera R$ 32 milhões em golpe de funcionária e 'mães de santo' em Dourados

Caso que envolve R$ 50 milhões teve reviravolta e vítima se transformou em investigada

14 outubro 2021 - 14h38Por Thiago de Souza

A Polícia Civil recuperou R$ 32 milhões, dos cerca de R$ 50 milhões, desviados por uma funcionária de uma empresa de Dourados. O caso ocorreu em setembro de 2020 e parte do dinheiro foi enviado para mães de santo. 

Conforme a investigação, comandada pela Delegacia Especializada em Crimes de Fronteira, a Defron, o montante recuperado está entre imóveis e carros de luxo. 

O caso

Em setembro de 2020, funcionária de uma grande empresa do agronegócio da cidade, foi até a delegacia denunciar que sofria extorsão de mães de santo, que moravam em São Paulo. 

Na versão da suposta vítima, ela havia feito uma consulta espiritual com as religiosas e teria recebido a previsão que iria morrer. Para que isso não ocorresse, ela deveria desviar valores da empresa e repassar para as videntes. 

Segundo o Dourados News, foi constatado que em 30 dias, a funcionária desviou R$ 50.845.730,50  pertencentes à empresa. A Defron, então, pediu à Justiça o bloqueio de bens e iniciou a investigação. 

Reviravolta

A Polícia descobriu que, na verdade, a funcionária da empresa procurou as mães de santo para que elas fizessem um trabalho espiritual, a fim que a empresa não descobrisse os desfalques que ela promovia. 

Sendo assim, diz a polícia, as gurus espirituais e a funcionária lucravam com o desvio milionário da empresa. As duas mães de santo foram identificadas como Juliana e Larissa e ambas têm extensa ficha criminal, por furto e estelionato. 

Somente em imóveis de luxo, em São Paulo, a polícia conseguiu sequestrar os bens, avaliados em R$ 14 milhões. Outra parte do dinheiro estava em contas bancárias e até com um doleiro. 

Com a finalização dos trabalhos, que possibilitou a recuperação de cerca de 32 milhões de reais, as três mulheres foram indiciadas pela prática de furto qualificado e associação criminosa.