(67) 99826-0686

Radares na BR-262 devem diminuir atropelamentos de animais silvestres

Meio Ambiente

1 DEZ 2013
O Pantaneiro
12h01min
Divulgação

No mês de novembro, 12 radares foram instalados na BR-262, no trecho entre Anastácio e Corumbá. Anteriormente, outros quatro radares já haviam sido implantados na rodovia, totalizando agora dezesseis ao longo do trecho.

A preocupação em instalar os radares provém da grande ocorrência de atropelamentos de animais nessa região. O Programa de Monitoramento de Atropelamentos de Fauna, durante um ano, acompanhou o trecho de 284 quilômetros entre os dois municípios, onde foram registrados 610 animais mortos.

Também foi realizada uma pesquisa de opinião no mês de abril deste ano com 101 motoristas na BR-262/MS, no Km 659, localidade conhecida como Buraco das Piranhas. Os resultados confirmam a alta incidência de atropelamentos, quando a grande maioria dos motoristas (98,01%) reconheceu que o atropelamento de fauna é um dos principais problemas da rodovia.

Dentro desse contexto foi criada uma Proposta de Dispositivos de Proteção à Fauna que inclui a implantação de controladores de velocidade nos trechos onde ocorre maior número de atropelamentos. Além dos radares, está proposta a colocação de telas e também o corte da vegetação mais densa próxima à rodovia, que acaba prejudicando a visibilidade do motorista.

O Projeto de Gestão Ambiental das Obras de revitalização na rodovia BR-262/MS, entre Anastácio e Corumbá, é realizado pela UFPR (Universidade Federal do Paraná) por meio do ITTI (Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura).

A parceria é realizada através de cooperação com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), com o objetivo de cumprir as condicionantes para a emissão e/ou manutenção das licenças requeridas por órgãos ambientais.

Veja também