Menu
sexta, 25 de setembro de 2020
Tema Livre

Facada de Bolsonaro todos conhecem, mas a do Trutis tem cara de encenação

Datas e falas dos envolvidos contradizem versão de traições dentro do PSL de Campo Grande

15 setembro 2020 - 08h10Por Vinícius Squinelo

E a segunda-feira teve mais um capítulo na confusão do PSL de Campo Grande, com direito a destituição de Loester Trutis do comando da sigla e candidatura novamente indo para Vinícius Siqueira. Porém, que todo o processo tem cara de encenação, isso não podemos negar. Datas e falas contradizem a versão ‘oficial’ dos fatos.

A confusão começou no sábado, quando Siqueira avisou que foi comunicado por Loester naquele dia – prestem atenção nas datas – de que não seria mais candidato a prefeito. O deputado federal assumiria a candidatura. O vereador assumiu a fala pública de ter sido traído.

A troca de candidatura foi confirmada no domingo, quando Loester afirmou que teria apoio da Executiva nacional para tal. Siqueira reforçou o discurso da traição, sendo acompanhado por pelo menos três candidatos à vereança, que deixariam de disputar o pleito, inclusive Juliana Gaioso, braço direito da senadora Soraya Thronicke, presidente estadual da sigla.

A segunda-feira começou quente, com avisos de uma nova convenção municipal sendo convocada. A informação foi confirmada por Soraya em coletiva no meio do dia, quando afirmou que destituiu Loester na sexta-feira e desfez a Executiva municipal. Soraya, como de praxe, não respondeu pergunta nenhuma e se portou quase como a presidente que não é. Acompanhada, claro, pela braço direito, que de ex-candidata volta a ser candidata.

Aí ficam as dúvidas: se o próprio Siqueira foi avisado somente no sábado que não seria candidato, assim como todos, como Soraya desfez a municipal na sexta-feira? E qual o motivo de manter o fato em segredo e deixar correr uma convenção que seria anulada posteriormente.

Junte-se a isso ao fato de, logo após o anúncio de Soraya, apoiadores de Siqueira distribuírem a versão de que ele quase tomara uma facada, como o ídolo Jair Bolsonaro – essa sim, inclusive filmada. Com direito a charge e apelido de ‘Adélio Trutis’.

Não sei para vocês, mas para mim que tem cheiro e forma de armação tem. Inclusive perguntei sobre isto ao próprio Siqueira na tarde de ontem... aguardo resposta.