(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Adolescentes que estupraram criança de 10 anos esperam vaga na Unei

O bárbaro crime aconteceu na sexta-feira e caso sejam condenados, ficarão no máximo três anos presos

3 DEZ 2016
Anna Gomes
15h43min
Criança foi encontrada num dos quartos da casa Foto: Edição de Notícias

Os dois adolescentes que estupraram um menino de 10 anos aguardam por vagas em UNEI (Unidade Educacional de Internação). A internação foi determinada na audiência de custódia, realizada nesta sexta-feira (2), no Fórum de Coxim, município distante aproximadamente 250 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o site Edição de Notícias, enquanto ambos seguem na delegacia da cidade, onde podem ficar por cinco dias, em seguida, devem seguir para internação, que inicialmente será de 45 dias até que a Polícia Civil conclua o inquérito e eles sejam julgados pela Justiça.

Ainda conforme o site local, caso sejam condenados, os adolescentes podem ficar até três anos internados. Eles estão respondendo por ato infracional equiparado a estupro de vulnerável, conforme a delegada titular de Coxim, Silvia Elaine Girardi Menck.

Com 15 e 16 anos, os adolescentes carregam nas costas a acusação de ter cometido um dos crimes que mais provoca repulsa na sociedade. Eles teriam estuprado um menino de 10 anos, na tarde de quinta-feira (1º), no bairro Santa Maria.

O crime

Na casa de um dos acusados, a vítima teria sido obrigado a ingerir bebida alcoólica ao ponto de ficar desacordado. Para tentar animar o menino, um dos adolescentes optou em dar um banho nele, foi quando começou a praticar o estupro.

O próprio adolescente de 16 anos confessou que os abusos tiveram início durante o banho e continuaram com a criança na cama, depois que ele vomitou devido a quantidade de álcool ingerida.

Esse adolescente informou à polícia que o colega, de 15 anos, também participou, mas ele nega a acusação. Além de apreender os dois, a polícia também levou para a delegacia duas garrafas de bebidas, uma cueca e duas camisinhas, entre outros materiais considerados evidência do crime.

A descoberta

O crime foi descoberto pelos pais da vítima, que se dividiram para procurar o filho pelo bairro, pois já passava do horário dele estar em casa depois da aula. Foi quando um deles avistou a bicicleta do menino numa casa da Rua dos Castilhos, no Santa Maria.

Ao entrar no imóvel, o padrasto encontrou o enteado jogado numa cama, dopado por bebida alcoólica. O menino foi levado imediatamente para o Hospital Regional Álvaro Fontoura. O crime foi constado pela perícia.

Veja também