TJMS JANEIRO
Menu
sexta, 21 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Aeronave é apreendida com peças furtadas e 'Operação Ícaro' terá desdobramentos

29 outubro 2015 - 12h20Por Mariana Anunciação

Além de apurar possíveis furtos e receptação de peças de aeronaves subtraídas de oficinas aeronáuticas de Campo Grande, a "Operação Ícaro" desencadeada na manhã de hoje (29) pela DECO (Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado) terá desdobramentos que contribuirão com a qualidade da aviação de Mato Grosso do Sul.  Apesar de ninguém ter sido preso até agora, diversos objetos foram apreendidos, inclusive uma aeronave modelo CESSNA 180, que tinha peças furtadas.

Tudo começou com o registro de um B. O. na delegacia, relatando que peças haviam sido furtadas de uma oficina especializada em manutenção de aeronaves. O registro foi realizado recentemente, mas o crime teria ocorrido no final do mês de maio. A polícia informou que manterá o sigilo sobre o denunciante até a conclusão do inquérito, considerado inédito em MS.

Após denúncias e investigações, foram requisitados dois profissionais da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) de Brasília para trabalharem em conjunto com a polícia nessa operação, por se tratar de questões técnicas.  Foram cumpridos 06 mandados de busca e apreensão, sendo 04 residências de suspeitos, uma oficina aeronáutica localizado na Rua Spipe Calarge, no Bairro Dom Pedrito e uma oficina aeronáutica instalada em um hangar no aeroporto Santa Maria.

“Ainda não quantificamos o montante de peças apreendidas, já encheu um caminhão. Elas estão sendo catalogadas, no momento. Será necessário fazer a abertura em muitas delas, para ser possível sua rastreabilidade. Só após a perícia técnica é que poderemos fazer os desdobramentos da investigação e até encontrarmos outros suspeitos”, destacou a delegada titular da Deco, Ana Claudia Medina.

Nas residências foram apreendidos documentos e nos demais locais peças e ferramentas de aeronaves. Na oficina aeronáutica localizada no Dom Pedrito, todo o material foi apreendido porque o estabelecimento não era homologado pela Anac, o que dificulta saber a procedência dos produtos. Já na oficina aeronáutica instalada em um hangar no aeroporto Santa Maria, a aeronave Cessna foi apreendida porque a hélice e o cubo de hélice são alguns dos produtos furtados na tal oficina.

 

(Delegada explicando sobre os desdobrementos da investigação. Foto: Landerson Ricardo)

O proprietário acompanhou os trabalhos da polícia e informou que adquiriu a aeronave apenas há dois meses. “Essa operação dá suporte para descobrirmos o porquê dos acidentes, que vem ocorrendo atualmente. Também estamos verificando as condições de aeronavegabilidade no estado. Ainda ninguém foi preso, mas todos os envolvidos serão intimados a prestar os devidos esclarecimentos para termos uma análise imparcial dos fatos, sendo punidos pela justiça e administrativamente pela Anac, se necessário”, concluiu a delegada.