(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

Algemado, Matheus sai em silêncio da Deam

Preso

22 JAN 2014
Anna Gomes
20h28min
Foto: Geovanni Gomes

Matheus Georges Zadra Tannous, 19 anos, saiu algemado nesta quarta-feira (22), da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).  Ele é suspeito de agredir a namorada , Giovanna Nunes de Oliveira, de 18 anos, na noite de  réveillon, em Campo Grande.

Durante a tarde de hoje, na Deam, o jovem prestou depoimento por aproximadamente 7 horas. Chegou na Delegacia às 12h e saiu por volta das 19h. Ele estava internado  no Hospital Nosso Lar, desde a noite desta terça-feira (21).

Enquanto Matheus prestava depoimento, alguns familiares de Giovanna foram até a delegacia, para pedir justiça sobre o caso da suposta agressão contra a garota. Os familiares alegaram que Matheus está promovendo uma encenação, se fazendo passar de ''louco'' para se livrar da prisão.

O Rapaz não falou com a imprensa. Após seu depoimento, foi levado  em silêncio, por uma viatura para a 4ª Delegacia de Polícia, no conjunto Moreninhas, na Capital.

A prisão de Matheus foi decretada e tem validade de 30 dias,  que pode ser prorrogada.

Giovanna foi levada pelos seus familiares para o Estado do Paraná , mesmo sem prestar depoimento oficialmente à polícia.

Caso

Matheus era procurado desde o dia 8 de janeiro, quando a Justiça decretou mandado de prisão preventiva contra o jovem. No mesmo dia, os advogados de defesa do estudante entraram com pedido de habeas corpus, que foi negado liminarmente na semana passada.

O jovem é acusado de ter agredido a namorada Giovanna na noite de ano novo no apartamento onde os dois moravam, na Capital. A jovem foi encontrada desacordada e em estado grave, com diversas lesões e quatro fraturas no rosto.

À polícia, Matheus negou as agressões, e afirmou que as lesões foram ocasionadas por dois tombos seguidos que Giovanna levou após ter consumido bebidas alcoólicas. Já a família da jovem acusa o estudante de tê-la espancado, e alega que Matheus sempre demonstrou comportamento ciumento e bipolar.

O caso ainda está sendo investigado pela Deam, e o laudo pericial aponta duas versões, a de agressão, e a de tombo. Giovanna, que está com a mãe em Londrina, ainda não prestou depoimento, mas disse que se não se recorda de possíveis agressões, apenas de uma discussão entre o casal.

Giovanna foi internada na Santa Casa de Campo Grande no dia 1º de janeiro, e passou por uma cirurgia para colocação de 12 pinos na face para corrigir as fraturas. Ela recebeu alta do hospital no dia 9 do mesmo mês, e ainda está em recuperação.

Foto: Geovanni Gomes
Foto: Geovanni Gomes
Foto: Geovanni GomesFoto: Geovanni Gomes

Veja também