TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Após três horas de depoimento, Amorim sai calado do Gaeco

05 outubro 2015 - 12h22Por Rodson Willyams e Dany Nascimento

Após prestar depoimento por três horas, o empresário João Amorim, deixou a  sede do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) da mesma forma como entrou, logo pela manhã desta segunda-feira (5): sem falar nada com a imprensa. Tanto ele quanto o advogado não fizeram qualquer tipo de declaração.

Amorim é investigado pela Polícia Federal por fraude em licitação de obras públicas pela Operação Lama Asfáltica, e apontado pelo Gaeco, do Ministério Público Estadual, como chefe de esquema para compra de votos de vereadores durante o processo cassação do prefeito Alcides Bernal, do PP, em 2014.

Esta é a quarta vez que o empresário presta depoimento ao Ministério Público Estadual. A primeira vez ocorreu no último dia 30 de setembro, para a Força Tarefa, que apura as denúncias  da Lama Asfáltica. Hoje, o depoimento foi para o coordenador do Gaeco, Marcos Alex Vera de Oliveira, que está a frente da Operação Coffee Break. As outras duas vezes também foram ao Gaeco.

Prisão

João Amorim, teve a prisão decretada na última quinta-feira (1º) pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. A mesma decisão também valeu para o prefeito afastado Gilmar Olarte. As prisões ocorreram em função da Operação Coffee Break, do Gaeco. O magistrado acatou o pedido feito pelo Ministério Público Estadual, em que acusa o empresário e Olarte de comprarem votos de vereadores para cassar o prefeito em 2014.

No mesmo dia, Amorim se entregou à polícia, mas, na noite da sexta-feira (2), por meio de um habeas corpus do Superior Tribunal de Justiça, o empresário conseguiu deixar a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros, local em que estava preso.

Depoimento

Amanhã (6), o promotor deverá ouvir o prefeito afastado Gilmar Olarte, do PP, que permanece preso no Presídio de Trânsito de Campo Grande. Olarte chegou a ser considerado foragido da polícia e se entregou na última sexta-feira (2), desde então, ele segue preso. 

Veja o vídeo da saída do empresário do Gaeco: