(67) 99826-0686
THINK JUCEMS 16/07 A 17/07

Duas pessoas são executadas e ataques de 'justiceiros' na fronteira deixam polícia em alerta

Só neste fim de semana, três pessoas foram encontradas mortas. Os ataques aconteceram próximos à linha de fronteira com MS

6 NOV 2016
Rodson Willyams
14h37min
Foto: Reprodução / PorãNews

A instabilidade na região da fronteira tem se intensificado, principalmente, do lado Paraguaio. Somente de sexta-feira (4) até este domingo (6), grupos denominados 'Justiceiros da Fronteira' realizaram diversos ataques do lado paraguaio. Ao todo, três pessoas foram executadas, sendo que há suspeita de que uma das vítimas seja brasileira, e mais três ficaram feridas. Com isso, o lado brasileiro, em Ponta Porã, que faz divisa com Pedro Juan Caballero, fica em alerta.

De acordo com o site Porã News, o primeiro ataque do grupo ocorreu na sexta-feira (4), por volta da meia-noite, em que três pessoas sofreram tentativa de homicídio após serem alvejas por disparos de fuzil 7.62 e pistola 9mm.

Diego Fernando Bogado Aguero, de 24 anos, que estava com mandado de prisão em aberto, Rodrigo Garcia Diaz, de 22 anos, e mais um adolescente M.O.S., de 17 anos, estavam em frente a uma residência no bairro Obrero, em Pedro Juan Cabellero, quando o grupo chegou disparando. As vítimas foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros e encaminhadas para o Hospital Regional da cidade, e após ficarem em observação foram liberados sem risco de vida.

No sábado (5), por volta das 14 horas, a polícia encontrou o corpo de um homem carbonizado em uma estrada vicinal próximo a Colônia Potrero Sul, próximo à cidade paraguaia de Zanja Pytã, na região da fronteira com o Brasil. Até o momento o corpo não foi identificado.

Segundo informações da Polícia Nacional de Pedro Juan Caballero, o homem teria sido morto com requintes de crueldade, uma vez, que estava com os pés e mãos amarrados. O corpo permanece no Instituto Médico Legal da cidade. Há suspeita que o homem seja um brasileiro.

Neste domingo (6), por volta das 7h30, os agentes da Polícia Nacional da Cidade de Pedro Juan Caballero encontraram mais dois corpos próximos à linha fronteira, na Vila Industrial. As vítimas teriam sido executadas após serem sequestradas, no sábado e, posteriormente, abandonados entre as cidades paraguaias Zanja Pytã e Pedro Juan Cabellero.

Um dos corpos encontrados. Foto: Reprodução PorãNews. 

Os corpos foram identificados como sendo Matias Ariel Riveros Romero, de 39 anos, e Wilson Arial Romero Silva, de 14 anos. Os dois foram encontrados da mesma forma da primeira vítima, com os pés e mãos amarrados. Os corpos foram executados com diversas armas de fogo. A dupla contatava com várias passagens pela polícia.

Neste caso, a Polícia Técnica do Paraguai encontrou uma carta dos supostos 'Justiceiros da Fronteira', aonde o grupo faz um comunicado. 'Este é um aviso aos que tiram a paz dos moradores da fronteira'. A polícia suspeita que possa ser o início de uma caçada aos a 'delinquentes' que atuam na região e aterrorizam a população nos últimos meses no país.

Carta deixada pelos Justiceiros. Foto: Reprodução PorãNews. 

Até o momento, a Polícia Paraguaia não se manifestou oficialmente sobre os ataques, mas pelas redes sociais, o grupo já havia manifestado que executariam 'delinquentes' na região de fronteira entre o Brasil e o Paraguai. O grupo pode ser comparado a milicianos que atuam em favelas do Rio de Janeiro. 

Veja também