Menu
sábado, 27 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Polícia

Brasileiros são presos na fronteira por suspeita de pistolagem

Dupla estaria envolvido na execução de um empresário de Pedro Juan Caballero

25 outubro 2018 - 14h18Por Luis Abraham

Dois homens foram presos na manhã desta quinta-feira (25), os supeitos foram identificados como Gilson Carlos Ferreira de Farias, 41 anos e Gidelvan Pereira de Lucena, 39. A dupla estava em uma luxuosa residência nos arredores de Pedro Juan Caballero.

Os agentes da Narcótica chegaram a Gilson e Gildevan após um trabalho de inteligência que investiga os últimos casos de homicídios ocorridos na cidade. Segundo os policiais, os dois são oriundos do estado da Paraíba, eles não souberam explicar o motivo de estarem na região de fronteira.

A dupla recebeu voz de prisão e foi encaminhada a sede da Direção de Investigações Criminais de Casos Puníveis da Polícia Nacional do Paraguai, onde já existe uma forte suspeita do envolvimento de ambos em homicídios na região de fronteira.

(Foto: reprodução / Porã News)

O promotor de justiça Armando Cantero Fassino não deu maiores informações, entretanto os indícios apontam que os dois tenham participado da execução do empresário brasileiro Paulinho Dionizio Ribeiro, 55, proprietário do restaurante "Mel e Canela” em Pedro Juan Caballero. Paulinho morreu na tarde de sexta-feira (19) com três disparos de pistola calibre 9mm, enquanto falava ao celular em frente de casa, os pistoleiros chegaram  em uma motocicleta e alvejaram a vitima que faleceu na hora.

A busca e apreensão ocorreu em duas casas próximas uma da outra, sendo que na primeira estavam Gilson e Gildevan, junto a eles foi encontrada também uma porção de cocaína para consumo próprio da dupla. No segundo imóvel a equipe de investigação encontrou uma caminhonete de procedência desconhecida, uma pistola calibre 9mm e quatro carregadores. O material apreendido foi encaminhado para a Polícia Técnica por ordem do promotor de justiça.

Armando Cantero acompanha o caso e afirmou que solicitará informações as autoridades brasileiras sobre a identidade dos brasileiros, bem como se os mesmos integram de alguma facção criminosa.