TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Briga de facções é principal suspeitas de chacina com cinco mortes em MS

20 outubro 2015 - 15h10Por Mariana Anunciação

Um crime no interior chocou a população de Mato Grosso do Sul. Pessoas foram feridas e cinco morreram no final da tarde de ontem (19), por volta das 18h15, em uma chacina na frente da Confeitaria Bahamas, no centro da cidade de Paranhos, distante a cerca de 456 quilômetros de Campo Grande. A suspeita para o crime é uma briga de facções rivais envolvidas com o tráfico de drogas seria.

Testemunhas relataram que homens chegaram ao local em dois veículos, sendo um deles uma Hilux preta. Eles estavam armados com fuzis e atiraram ao menos 100 vezes contra as vítimas, sendo que três vitimas fatais foram encontradas caídas no chão, duas no asfalto e uma na porta da padaria. Os criminosos teriam fugido em sentido ao país vizinho, Paraguai.

As polícias Civil e Militar compareceram ao local e fizeram buscas nas redondezas. Chegaram a encontrar um veículo suspeito, mas ele ganhou velocidade e atravessou a fronteira em direção à cidade vizinha de Ypejhú. A suspeita inicial é que o crime pode estar relacionado ao tráfico de drogas, já que há indícios que uma das vítimas era chefe do tráfico na região de fronteira.

“Briga de facções criminosas”, destacou um investigador que trabalha na cidade, que preferiu preservar o sigilo do inquérito policial, que está sob responsabilidade do delegado Fabrício Dias dos Santos.

A Polícia Civil confirmou o óbito de Bruno Vieira de Oliveira, de 26 anos; Rodrigo da Silva de, 28 anos; e Mohamed Youssef Neto, de 31 anos que morreram durante o atentado. Já Arnaldo Andres Alderete Peralta, de 32 anos e Denis Gustavo Gonçalves, de 23 anos, chegaram a ser socorridos pelas equipes de resgate, mas morreram no hospital. Além disso, Ermison Lopes Pereira de 29 anos e Anderson Cristiano Betoni, de 27 anos, foram internados e estão estáveis.

O local não foi preservado devido a grande aglomeração de curiosos, mas a perícia observou marcas de disparos de arma de fogo, várias perfurações na parede, portas de vidro quebradas, bem como outros danos no interior do estabelecimento. Conforme o registro policial foram recolhidos aproximadamente 87 cápsulas deflagradas de calibre 7.62 mm, 10 de 2,23 mm e 8 de calibre 9mm. Os corpos foram encaminhados para exame de necrópsica no Instituto Médico Legal.