Menu
Busca sábado, 25 de janeiro de 2020
Polícia

Cabo da PM que matou bioquímico dentro de cinema vai seguir preso, decide Justiça

Suspeito confessa que atirou na vítima após confusão por causa de cadeira

10 julho 2019 - 17h16Por Thiago de Souza

O policial militar Dijavan Batista dos Santos, 37 anos, que atirou e matou o bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, 43, dentro do cinema em Dourados, na segunda-feira (8), passou por audiência de custódia, na tarde desta quarta-feira (10). A Justiça converteu a prisão em flagrante para preventiva. 

Conforme o juiz da 3ª Vara Criminal, Eguiliel Ricardo da Silva, o suspeito do crime deve ficar preso para garantia da ordem pública e conveniência da instrução penal. 

Segundo o Dourados News, Dijavan foi preso logo depois do crime e encaminhado ao quartel da Polícia Militar Ambiental, nas proximidades do local onde ocorreu o fato, o shopping Avenida. De lá,  foi levado ao 3º Batalhão de Polícia Militar e posteriormente ao 1º Distrito Policial,  onde prestou depoimento e retornou à Ambiental. 

O crime 

Conforme relato do suspeito, a confusão ocorreu após desentendimento com a vítima por um assento na sala de cinema. 
Dijavan e a vítima teriam discutido e posteriormente entrado em luta corporal, resultando no disparo por parte do policial militar. O tiro atingiu o peito de Júlio e transfixou o pescoço. O socorro chegou a ser acionado, porém, a vítima já estava morta.