Menu
quarta, 30 de setembro de 2020
Polícia

Casal é suspeito de incendiar catador de latinhas; mulher está presa

A suspeita foi flagrada consumindo crack e detida pelos investigadores, o companheiro ainda não foi localizado

05 abril 2019 - 07h30Por Da redação/JP News

Uma usuária de drogas foi detida por investigadores do Setor de Investigações Gerais (SIG), suspeita de atear fogo no catador de latinhas Roberto Pedro da Silva, 46 anos, na madrugada de quarta-feira (3), no Bairro Carioca. A mulher de 34 anos foi flagrada consumindo crack, às 16h desta quinta-feira (4), em casa, na Rua dos Bem-te-vis, na Vila Popular, em Três Lagoas.

Ela e o companheiro foram denunciados anonimamente. Ele não foi localizado. Segundo a Polícia Civil, a suspeita negou o crime, bem como a participação do marido. Ela teria alegado ser, assim como o companheiro, amiga do casal que teve a casa incendiada nesta quinta-feira, por volta das 13h30. Na casa da suspeita, os investigadores também encontraram porção de maconha e duas pedras de crack, na mesa da sala. As drogas foram apreendidas.

A usuária foi levada para a Delegacia de Polícia e enquadrada em crime de porte de drogas para consumo pessoal. Roberto Pedro da Silva teve 70% do corpo queimado enquanto dormia em uma casa cedida por um vizinho, na Rua das Siriemas. O imóvel foi incendiado cerca de 30 horas depois do crime, nesta quinta-feira (4). Roberto Pedro continua em estado grave e foi transferido para um hospital de Campo Grande, no mesmo dia.

Leia Também

Ao contrário do esperado, fronteira teve apenas alguns pontos reabertos
Cidades
Ao contrário do esperado, fronteira teve apenas alguns pontos reabertos
Ministério da Agricultura vai investigar 'sementes misteriosas' vindas da China
Geral
Ministério da Agricultura vai investigar 'sementes misteriosas' vindas da China
Corrupção: vice toma posse após prefeito ser cassado pela Câmara de Bandeirantes
Política
Corrupção: vice toma posse após prefeito ser cassado pela Câmara de Bandeirantes
Com cachorro no colo, Bolsonaro sanciona pena maior para maus-tratos a animais
Geral
Com cachorro no colo, Bolsonaro sanciona pena maior para maus-tratos a animais