(67) 99826-0686
ALMS 13/06 a 12/07

Helicóptero, cachorros e 100 homens da polícia participam de mega operação no Presídio de Segurança

Operação Instalação Bloqueadores de Celular

21 FEV 2014
Carlos Guessy
18h19min
Foto: Divulgação

Utilizando um helicóptero, uma viatura do Bope e duas viaturas do batalhão de Choque, a polícia esteve no interior da Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (21).


Informações extraoficiais dizeram que os policiais vieram para a instalação dos bloqueadores de celular e coibir qualquer tipo de reação por parte dos internos, gerando grande movimento de curiosos próximos ao estabelecimento penal.


"Desde cedo o helicóptero estava rondando por aqui. Muito barulho, sirene, parece até que escapou alguém para eles fazer um 'bafafá' desse tamanho, credo", indignou a dona de casa Silvana Loester, 37 anos, moradora do bairro Jardim Noroeste, ao lado do presídio.


Após cinco horas de treinamento e pente fino, a Polícia finalizou na hora do almoço a ação no Estabelecimento Penal de Segurança Máxima, em Campo Grande. Segundo um sargento da Tropa de Choque, celulares e drogas foram apreendidos, sendo que os detentos tiveram um comportamento tranquilo e submisso durante a vistoria nas celas.


 

A Policia utilizou cães da ronda ostensiva canina (Roca),  para fazer um pente-fino nas celas da Penitenciaria de Segurança Máxima de Campo Grande. A operação de treinamento começou por volta das 7h30 da manhã dessa sexta-feira (21) e aconteceu em meio a rumores de rebelião no local.


Ao todo, em todo o complexo penitenciário do Estado são 1.300 servidores nos presídios de Mato Grosso do Sul, entre psicólogos, assistentes sociais e agentes em 45 unidades penais, onde estão 12 mil presos.


Vários parentes dos detentos permanecem do lado de fora preocupados com a situação no local. Para Jucélia Farinas Borges, 30 anos, irmã de um detento que está custodiado na Máxima, ela ficou sabendo pela televisão e imediatamente foi até o local saber informações.


"Eu estava tomando café e escutei pela tv e chamou minha atenção. Na hora larguei o café com pão e vim correndo pra cá. Quero saber o real motivo dessa gente toda. Ninguém fala com a gente, quero uma informação oficial se é rebelião, se é transferência. Temos direitos das informações também. São vidas de maridos, irmãos, esposos, parentes que estão lá dentro", disse indignada Jucélia.


Informações passadas por alguns agentes penitenciários ao Top Mídia News, confirmam que os bloqueadores já foram instalados e que os testes estão em fases pré liminares em fase de testes.


O secretário da Segurança Pública do Estado, Wantuir Jacini, confirmou que os policiais fizeram um treinamento. E que caso seja necessário intervir em um possível motim de presos, eles já estarão preparados. “Isso foi um treinamento lógico, mas se houver necessidade de agir, estamos prontos para qualquer momento”, enfatizou o titular da Sejusp.


Foram utilizados 60 homens do Batalhão de Choque e outros pelotões, como o Bope. Ao todo mais de 100 homens participaram da operação. A polícia também utilizou cães da Rondas Ostensiva Canina (Roca)  para fazer um pente-fino nas celas da penitenciária e um helicóptero.


De acordo com os agentes penitenciários o clima foi de tensão no local desde quinta-feira. “Um barril de pólvora, prestes a explodir", disse um agente penitenciário que não quis se identificar.


Na Capital são 400 funcionários para aproximadamente 2 mil internos do Complexo Penitenciário de Segurança Máxima de Campo Grande.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: DivulgaçãoLixo acumulado em pavilhão da Penitenciária de Segurança Máxima. Foto: DivulgaçãoLixo acumulado em pavilhão da Penitenciária de Segurança Máxima. Foto: Divulgação

Veja também