Menu
terça, 15 de junho de 2021
Polícia

Osmar Jeronymo ‘trocou’ mansões com braço direito de Fernandinho Beira-Mar

Conselheiro teria trocado imóvel de R$ 500 mil em Ponta Porã por casa de quase R$ 1 milhão em Campo Grande

09 junho 2021 - 13h20Por Diana Christie

Osmar Domingues Jeronymo, fez negociações suspeitas com Carlos Alberto da Silva Duro, o “Carlinhos Duro”, traficante internacional conhecido como braço direito de Fernandinho Beiramar. A informação é de análise dos dados fiscais do conselheiro do TCE-MS (Tribunal de Contas do Estado) feita pela Polícia Federal.

Os dados estão em pedido de quebra do sigilo fiscal do conselheiro, que juntamente com Waldir Neves Barbosa e Ronado Chadid, é suspeito de participar de organização criminos, que conta também com nomes como de João Alberto Krampe Amorim dos Santos, sócio da Empresa CG Solurb, segundo a PF. 

Conforme a Polícia Federal, as declarações de Imposto de Renda do conselheiro apresentam vários dados confusos ou genéricos, que dificultam ou impedem a compreensão das autoridades, com aquisições de “diversos bens cuja origem do dinheiro é desconhecida e recebimento de valores em que há fortes suspeitas de origem criminosa".

No caso em questão, Osmar comprou um imóvel localizado na Rua Carmen Soto Rojas, em Ponta Porã, por R$ 500 mil, em 5 de fevereiro de 2019, de Ademar de Souza. Quatro meses depois, ele permutou (trocou) o imóvel com Carlinhos Duro por uma casa na Av. Mato Grosso, na Vila Cruzeiro, em Campo Grande, com valor de alienação de R$ 905.323,70 e pagamentos realizados à vista.

Carlinhos estaria morando no Paraguai e a esposa em Amambai, cidade sul-mato-grossense na fronteira entre os dois países. No entanto, de acordo com a investigação, apesar de as negociações serem plausíveis, nenhuma movimentação bancária compatível foi registrada nas contas de Osmar Jeronymo, no período da quebra determinada judicialmente (01/01/2009 a 31/08/2019).

“Quanto ao citado imóvel em Ponta Porã, Osmar Jeronymo o adquiriu, em 05/02/2019, por R$ 500.000,00 e, em 12/06/2019, Osmar permutou tal bem com uma casa em Campo Grande-MS (de Carlos Duro), sendo registrado o valor da transação por R$ 905.323,70, verifica-se que em um intervalo de 4 meses, Osmar Jeronymo conseguiu negociar o bem com uma valorização de 81,06%”, complementa a PF.

Outras transições imobiliárias também são investigadas por suspeitas de lavagem de dinheiro. Ontem (8), quando a operação foi deflagrada, a PF apreendeu mais de R$ 1,6 milhão na casa de Ronaldo Chadid, em diversas moedas. 

Operação Mina de Ouro

Operação Mina de Ouro - Foto: Divulgação/PF

Operação Mina de Ouro

A Operação Mina de Ouro foi deflagrada a partir de investigações de casos de corrupção na Lama Asfáltica. A PF suspeita que o grupo criminoso usava uma mineradora para lavar o dinheiro desviado dos cofres públicos. 

Segundo a divulgação da ação, os envolvidos teriam proferido decisões favoráveis a empresários em troca de dinheiro.