TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 01 de julho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Polícia

Criança de 1 ano morre ao ser atropelada em condomínio de Campo Grande

A mãe mexia no celular no momento em que a criança foi até o veículo e acabou atropelada

09 março 2017 - 08h11Por Dany Nascimento e Anna Gomes

Uma criança de um ano e quatro meses morreu na noite de ontem (8), após ser atropelada no condomínio Morumbi Parque, na Rua Dudina, Vila Carlota, em Campo Grande. De acordo com a polícia, a mãe da criança tem 22 anos e mora no local com uma amiga, identificada como Bruna Nascimento, 22 anos, que também tem uma criança.

Por volta das 22h50, Bruna foi até a portaria para acompanhar o namorado Henrique Cesar Marcelino, 20 anos, que decidiu ir embora.  Bruna entrou no veículo de Henrique, um Onix de cor prata e colocou as duas crianças dentro do carro para seguir até a portaria, que fica cerca de 50 metros da casa, para abrir o portão de elevação, que não estaria funcionando.

A mãe da criança atropelada também foi até a portaria, mas teria seguido o carro caminhando.  Ao chegar no portão, Bruna desceu do veículo, colocou as duas crianças na calçada e voltou para o carro para se despedir de Henrique. As duas crianças ficaram na calçada sob os cuidados da amiga de Bruna, que estava distraída mexendo no aparelho celular.

Henrique se despediu de Bruna e saiu com o carro. A mãe da criança não percebeu que a mesma teria saído da calçada e ao procurar a filha, encontrou a criança no chão, com sangramentos. O namorado de Bruna disse aos policiais que ao sair do local, olhou pelo retrovisor e ao notar uma movimentação, retornou.

Ele disse que não viu o momento em que atropelou a criança e foi informado do ocorrido após fazer o retorno. Henrique disse que acreditava que outra pessoa teria atropelado a criança, mas a mãe da criança confirmou que a filha teria sido atropelada pelo veículo Onix. Henrique permaneceu no local e o Corpo de Bombeiros foi acionado.

Ao chegar no local, os bombeiros constataram que a criança já não apresentava sinais vitais. Henrique fez o teste do bafômetro que constatou que o motorista não fez o uso de bebida alcoólica.

Bruna e Henrique prestaram depoimento. Já a mãe da vítima, continua em estado de choque e ainda não foi ouvida pela polícia.  O local possui câmeras de segurança, mas como o condomínio não tem síndico, ainda não se sabe se as câmeras estavam funcionando no momento do acidente.

O caso será investigado pela 4º Delegacia de Polícia.