Menu
terça, 29 de setembro de 2020
Polícia

Lembrando Maxelline, delegada faz alerta e pede para mulheres denunciarem agressores

'As vítimas precisam confiar no trabalho da polícia', diz a delegada

05 abril 2020 - 07h00Por Dany Nascimento e Willian Leite

A delegada Sueli Araújo da Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) faz um alerta e pede para que as mulheres que são vítimas de violência doméstica não tenham medo de denunciar os agressores.

Ela lamenta o assassinato de Maxelline da Silva dos Santos, 28 anos, executada à tiros pelo ex-namorado Valtenir Pereira da Silva, 35 anos, em Campo Grande.

“A Maxelline tinha medidas protetivas, mas quando ele começou a perseguir ela depois de concedida as medidas, infelizmente ela não mais procurou a polícia, mas isso é bem compreensível quando falamos de violência contra a mulher. Ela tentava terminar o relacionamento e ele não aceitava e nunca aceitaria. Se ela tivesse procurado a polícia, medidas seriam tomadas de urgência no caso”, diz a delegada.

Sueli afirma que a população precisa confiar no trabalho da polícia. “Acredito que a todo momento é possível aperfeiçoar o trabalho de enfrentamento a violência doméstica, as conversas entre as instituições são fundamentais. Estamos trabalhando para impedir que casos como esse aconteçam. As mulheres têm o apoio da Deam”.

No caso da vítima feita de refém pelo pastor Jesus Coelho, a delegacia ofereceu atendimento psicológico para a vítima após a prisão do suspeito.

Leia Também

Gravíssimo: mais duas mulheres relatam assédio de ginecologista em Campo Grande
Polícia
Gravíssimo: mais duas mulheres relatam assédio de ginecologista em Campo Grande
Desaparecida por dois anos, mulher é achada boiando no mar na Colômbia
Geral
Desaparecida por dois anos, mulher é achada boiando no mar na Colômbia
Toque de recolher deve começar à 1h da manhã em Campo Grande
Cidade Morena
Toque de recolher deve começar à 1h da manhã em Campo Grande
Custa quase R$ 200 mil: máquina chinesa consegue detectar covid-19 em 30 minutos
Geral
Custa quase R$ 200 mil: máquina chinesa consegue detectar covid-19 em 30 minutos