(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Dentista leva três tiros durante abordagem de policiais militares

Cuiabá

8 MAR 2014
Repórter MT
13h14min
Divulgação

O advogado Eduardo Mahon denunciou via redes sociais uma suposta truculência da Polícia Militar de Mato Grosso contra um dentista. O fato teria ocorrido há cerca de vinte dias na estrada da Guia (Cuiabá/MT). Segundo Mahon, o dentista, que terá o nome preservado, foi abordado por três policiais.

 

Ele estava numa caminhonete Nissan. Segundo o advogado, os policiais o algemaram alegando que o dentista estaria bêbado e com traços de violência. Isso, de acordo com o advogado, foi o suficiente para desencadear uma ação desastrosa, que ainda teve disparos de arma de fogo (uma submetralhadora). Dois tiros atingiram o braço direito do profissional e um outro, de raspão, a sua barriga.

 

Após a ‘confusão, outros nove policiais apareceram. Resultado: o dentista passou vários dias internado na UTI de um hospital particular de Cuiabá e ainda corre o risco de perder o braço direito por causa de possíveis infecções.

 

Versão policial – O tenente Coronel Paulo Ferreira Serbija Filho deu uma versão bem diferente do fato narrado. Segundo Serbija, uma viatura do Batalhão de Trânsito passou pela caminhonete do dentista, na Avenida Antártica, região do Sucuri e em seguida o dentista teria passado a "cantar pneu" e dar "cavalinho de pau" com o carro. Com isso, a viatura do Batalhão deu meia volta e passou a seguir a caminhonete.

 

Segundo Serbija, o dentista só parou o veículo depois que passou por um quebra-molas e acabou perdendo o controle do carro. Na sequência, os policiais tentaram fazer a abordagem ao dentista, mas de acordo com o tenente coronel, o profissional resistia. “Ele se recusou a ser revistado. Em um momento em que ele ia ser revistado, ele sacou a arma e apontou. O aspirante, que é oficial, fez dois disparos contra ele”, disse o tenente coronel.

 

Os policiais apreenderam a arma e o carro do dentista. O Samu foi chamado para fazer o atendimento. O caso foi encaminhado para a Polícia Civil. O oficial da PM ainda disse que caso a família do dentista queira fazer alguma reclamação, pode procurar a Corregedoria, que será aberto um procedimento para investigar a denúncia.

Veja também