TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Polícia

Em oito meses, mais de 300 vidas foram tiradas de forma violenta em MS

Entre janeiro e agosto de 2018, crimes chocaram pela crueldade; relembre alguns casos

24 outubro 2018 - 17h00Por Amanda Amaral

A criminalidade tirou, de forma violenta, a vida de 337 pessoas em Mato Grosso do Sul nos primeiros oito meses de 2018. O índice é de pesquisa realizada pelo portal G1, e considera os crimes de latrocínio, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte.

A metodologia do levantamento não foi divulgada, mas leva em conta dados encaminhados por cada Estado do país, que no período registrou 34.305 mil mortes violentas. Não participaram da pesquisa em todos os meses os estados de Tocantins, Maranhão, Amazonas e Paraná.

Alguns dos estados onde a situação é mais grave, proporcionalmente ao número de habitantes, são Alagoas, Acre, Roraima, Pará, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraíba, e Ceará. As vítimas vão de crianças a idosos, em crimes com diferentes intenções, entre eles o roubo, acerto de contas, riscos assumidos pelo autor e outras variadas nuances de ódio.

Somente no mês de janeiro, período que estatisticamente os crimes tendem a ser maiores, o professor indígena Flávio Vilhalva Freitas, 36 anos, foi assassinado pela esposa em Caarapó; um adolescente de 14 anos foi assassinado a tiros no Jardim Centro Oeste, em Campo Grande; e o ex-gerente industrial Renato Bastos Otoni, de 62 anos, matou a tiros a ex-mulher Halley Coimbra, 39 anos, em Três Lagoas.

Entre os casos mais emblemáticos, está a morte de Vitor Figueiredo Peixinho, de 10 anos, em março em Nova Andradina. Ele foi encontrado no telhado de sua casa, morto por um adolescente de 17 anos após tentativa de estupro. O garoto estava desaparecido havia alguns dias.

Em abril, uma discussão por causa do filho de Rivando Parnaíba Vieira, 44 anos, que morreu após ser esfaqueado na madrugada do dia 22 de abril em uma sobaria no bairro Coophavila II, em Campo Grande, teria sido o motivo do crime. O autor, Valkimar Alves Guerra, 49 anos, se apresentou à polícia e confessou o assassinato.

Após os primeiros oito meses do ano, outros crimes violentos já foram registrados em MS. Entre eles, a morte de Maria Ildonei Lima, 70 anos. Dois adolescentes de 17 anos foram presos pelo crime, cometido a facadas. Os dois, sendo um o próprio neto, planejaram o homicídio no colégio e foram passear no shopping depois do ato.

O índice nacional coletado pela pesquisa leva em conta toda a população brasileira mesmo quando não há dados de todos os estados.  As taxas são calculadas com base nas estimativas populacionais do IBGE para cada ano.