TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Escondido, Giroto se entrega ao Garras após 'nova' prisão

12 novembro 2015 - 07h59Por Rodson Willyams

Após o desembargador Dorival Moreira dos Santos cassar Habeas Corpus que permitia ficar em liberdade, Edson Giroto se apresentou, nas primeiras horas desta manhã de quinta-feira (12). Ele chegou à sede do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) 'escondido', mas a informação foi confirmada por agentes policiais. 

A decisão do magistrado cassou a ordem que soltava ex-secretário de Obras de Mato Grosso do Sul, ex-secretário do Ministério dos Transportes e ex-deputado federal, além da ex-diretora da Agesul (Agencia Estadual de Gestão de Empreendimentos), Maria Wilma Casanova Rosa. Os investigadores do Garras confirmaram que o ex-político e a ex-presidente da Agesul já estão na sede do órgão.

Segundo informações apuradas pelo TopMídia News, Giroto se apresentou logo cedo na sede do órgão após a decisão judicial. Conforme o advogado Jail Azambuja, que trabalha na defesa de Giroto, ainda cabe recurso da decisão que cassou o Habeas Corpus de Giroto e Maria Wilma.

Eles são investigados por possível participação em esquema criminoso de fraude em licitações que teria ocorrido durante a gestão do ex-governador André Puccinelli (PMDB). Giroto teria recebido propinas e foi flagrado pela PF (Polícia Federal) utilizando o avião do empreiteiro João Amorim, para viagens particulares, que também segue detido na sede da Denar, em Campo Grande.