TCE Novembro
Menu
terça, 30 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Polícia

Estudante goiana tem prisão preventiva decretada após abandonar recém-nascido

Família informou ao Ministério Público que a jovem mãe sofre de transtornos psicológicos

12 dezembro 2018 - 13h41Por Da redação / O Dia

A estudante de medicina Maria Angelica Pereira Galdino, de 22 anos, teve a prisão preventiva decretada pelo Ministério Público do Paraguai, depois de abandonar o filho recém-nascido de apenas seis dias, em uma rua da cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, que faz divisa com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. As informações foram publicadas pelo G1.

De acordo com a matéria, o MP paraguaio informou que uma família encontrou a criança na rua e avisou ao Ministério Público. O órgão iniciou as investigações e descobriu que a estudante brasileira de medicina tinha abandonado o bebê.

Conforme a publicação, Maria Angelica se arrependeu e avisou a família que mora em Goiás sobre o caso. Segundo as informações publicadas, a mãe e os irmãos da jovem foram para o Paraguai e entraram em contato com o MP, informando o arrependimento da universitária e que a mesma está internada em um hospital com transtornos psicológicos e que vai se apresentar assim que receber alta.

A guarda da criança está provisoriamente com uma família paraguaia, e caso a mãe queira o bebê de volta vai ser preciso acionar a justiça do país por meio do Consulado Brasileiro.

O caso

No último sábado (8) uma equipe da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) encontrou um recém-nascido dentro de uma caixa de papelão, em um matagal no Setor Papilon Park, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital.

A criança que é do sexo masculino foi encontrada pela equipe do Sargento Adelson, e segundo a polícia o menino estava dentro de uma caixa de papelão, enrolado em uma toalha.

O sargento explicou que o recém-nascido estava com muito sangue no cordão umbilical, indicando que a criança tinha nascido há pouco tempo. Os policiais chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) que prestaram os primeiros atendimentos ao bebê no local.

Os policiais militares e socorristas do Samu, deram o nome de Samuel para criança. O recém-nascido foi levado pelo Samu para a Maternidade Marlene Teixeira, em Aparecida de Goiânia.