Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Ex-diretor da Agesul diz que prisão foi arbitrária e pede Habeas Corpus

10 novembro 2015 - 16h28Por Diana Christie

Preso na manhã de hoje (10) após força-tarefa capitaneada pelo MPE (Ministério Público Estadual), o ex-diretor-geral da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), Wilson Cabral Tavares, ingressou na Justiça com o pedido de Habeas Corpus.

Representado pelo advogado Evandro Ferreira de Viana Bandeira, o impetrante alega que não foi informado sobre os motivos da prisão ou do ilícito que supostamente cometeu, por isso a detenção teria sido ilegal e arbitrária.

O pedido foi encaminhado para avaliação do desembargador Dorival Moreira dos Santos, da 3ª Câmara Criminal. Segundo os autos do processo, Wilson foi preso por volta das 6h da manhã em sua residência, no bairro Santa Fé.

De acordo com as investigações da PF (Polícia Federal), o ex-diretor autorizou o pagamento de cerca de 27 medições fraudadas referentes ao contrato de repasse nº 0226003-02, celebrado entre o Ministério das Cidades e a Agesul, para a obra de implantação de trecho da Avenida Duque de Caxias (Via Morena) e da Rua Antônio Bandeira.

A Avenida Duque de Caxias recebeu R$ 13,9 milhões do Governo Federal para a drenagem e o alargamento da via, além da abertura de quatro ruas e a revitalização da Praça do Aviador. Técnicos da Agesul teriam atuado no esquema adulterando as planilhas sobre os serviços executados.

Foram feitos recapeamento e drenagem entre as avenidas Duque de Caxias e Capibaribe, das vias de acesso ao Santo Amaro, e também foi iniciado o projeto de revitalização da Júlio de Castilho que recebeu um investimento de R$ 18.364.888,59, com 95% dos recursos provenientes do Pró-Transporte e 5% do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Ainda assim, conforme nota divulgada pelo MPE, a prisão de Wilson e mais outras oito pessoas, entre elas o ex-secretário Edson Giroto e o empresário João Amorim, fazem parte de uma investigação sobre as obras de “recuperação da estrutura da faixa de rolamento da rodovia MS-228, com aplicação de revestimento primário e implantação de dispositivos de drenagens”, em Corumbá.