TJMS dezembro
Menu
Busca terça, 10 de dezembro de 2019
Polícia

Família muda de casa e abandona 'Princesa'; cachorra foi resgatada muito doente

Animal estava em visível estado de desnutrição, desidratação, infestada por carrapatos e pulgas

12 julho 2019 - 11h26Por Redação/Jornal da Nova

A Ong (Organização Não Governamental) ‘Patinhas de Amor’ resgatou uma cachorra que estava abandonada no quintal de uma residência desabitada em Nova Andradina em situação degradante.

Segundo os voluntários, um funcionário da Energisa percebeu que o animal estava dentro do quintal, sem água, sem alimento e sem abrigo e decidiu acionar a ONG que, com apoio da PMA (Polícia Militar Ambiental), efetuou o resgate.

Ainda nas palavras dos integrantes da organização, a cachorra, de aproximadamente sete anos, foi deixada para trás quando os donos se mudaram da casa. Ela ficou trancada no quintal, sem ter como sair para procurar água ou comida.

Já no momento do resgate, os voluntários perceberam que o animal havia suportado todo o frio que fez nos últimos dias, inclusive com ocorrência de geada na região, e apresentava visível estado de desnutrição, desidratação, estava infestada por carrapatos e pulgas, além de um grave problema de pele que acabou provocando a queda dos pelos em grande parte do corpo.

De imediato, ‘Princesa’, como foi chamada, seguiu para uma clínica veterinária, onde recebeu água, alimento, medicamentos e os devidos cuidados. Já no dia seguinte, ela tomou banho e segue em recuperação.

A situação foi postada pelos próprios integrantes da ‘Patinhas de Amor’, através da página da organização no Facebook. Na publicação, eles se dizem perplexos com a situação em que o animal foi encontrado.

“Ela ficou dias sem água e comida numa casa abandonada, presa sem poder buscar alimentação e perto dali tinha várias pessoas que sabiam e não fizeram nada. Como alguém pode deixar isso acontecer?”, questionaram eles na postagem.

Logo após ‘Princesa’ se recuperar por completo, a ONG buscará uma família que tenha interesse em adotá-la. “Vamos lutar por ela e assegurar que ela tenha a melhor família que se possa encontrar”, disseram os membros da organização.