Menu
Busca quarta, 13 de novembro de 2019
Polícia

Homem é preso em flagrante queimando fios de cobre na região do São Conrado

Durante a ação, os policiais da Decat também encontraram o chassi de uma moto roubada em março deste ano

11 setembro 2019 - 15h15Por Da redação/PCMS

Durante uma operação de combate à queimadas na área urbana de Campo Grande, os policiais civis da Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e de Atendimento ao Turista), flagraram um empresário do ramo de reciclagem, de 33 anos, realizando a queima de fios de cobre, nas imediações do Jardim São Conrado.

Conforme a Decat, ao todo estavam sendo submetidos à combustão cerca de 40 quilos de fios de cobre, com o objetivo de remover a capa plástica que reveste o material, prática que é bastante comum entre os trabalhadores da reciclagem.

A fumaça produzida pela queima à céu aberto libera para atmosfera óxido de enxofre, monóxido de carbono e diversos outros gases tóxicos, considerados nocivos à saúde humana e animal.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Maércio Alves Barboza, os gases da queima podem causar graves problemas do sistema respiratório, além de agravar doenças como rinite, asma e bronquite, por exemplo.

No Fiat Strada, pertencente ao autuado, haviam ainda cerca de 70 quilos de cobre, já desprovido da capa e com indícios de ter sido submetido ao mesmo processo criminoso de queima. O veiculo foi apreendido, em razão de ser objeto de busca e apreensão em processo que tramita na 1ª Vara Cível da Comarca de Nova Andradina/MS.

Moto roubada

Durante a ação policial a equipe da Decat localizou e apreendeu nas imediações o chassi de uma Honda Titan. Após pesquisa apurou-se que a peça pertence a um cozinheiro, que foi roubado em 24 de março deste ano, na Rua Santa Quitéria, no Jardim Centenário, em Campo Grande.

Na época, o homem de 39 anos, foi surpreendido por dois homens armados, quando reduziu a velocidade para passar em uma lombada existente na via. O delegado Maércio solicitou auxílio dos peritos criminais da Coordenadoria-Geral de Perícias (CGP), que estiveram no local e realizaram os levantamentos de praxe.

O empresário foi preso e autuado em flagrante por causar polução de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, crime este previsto art. 54, “caput”, da Lei 9.605/98. Ele pagou fiança de R$ 1,9 mil e foi liberado para respondeu ao processo em liberdade.