Menu
sábado, 28 de maio de 2022 Campo Grande/MS
CÂMARA MUNICIPAL MAIO 2/3 ANO
Polícia

Juiz de Dourados mantém preso lutador de MMA suspeito de participar de morte do filho bebê

Ele e a mulher de 21 anos foram detidos duas semanas atrás; criança morreu pisoteada

28 agosto 2018 - 11h05Por Celso Bejarano

O juiz César de Souza Lima, da 3ª Vara Criminal de Dourados, discordou do pedido de liberdade e decidou manter preso por tempo indefinido Joel Rodrigo Ávalo Santos, 25, lutador de MMA (Artes Marciais Mistas), preso há duas semanas, suspeito de participar da morte do filho de um ano e dois meses. Jéssica Leite Ribeiro, 21, mulher de Santos, também foi presa pelo crime. O bebê nasceu no primeiro casamento do homem, portanto, a detida era a madrasta da vítima.

Depois de presos, Jéssica apresentou versões diferentes acerca do crime. Primeiro, disse que a criança teria engasgado e, na ânsia de salvá-la a teria chacoalhado, daí os hematomas no corpo notados por equipe médica, no hospital.

Depois, ela inocentou o marido, que nada teria a ver com a morte da criança. Em outro depoimento, confessou ter pisoteado em cima do bebê, que já chegou morto no hospital.

Contudo, o depoimento de Jéssica não convenceu o magistrado. 

“A segregação do acusado para garantia da ordem pública é imperiosa, pois praticou crime de grande repercussão social, com extrema violência, ou seja, ceifou a vida de uma criança com 1 ano de idade. A extrema violência com que agiu, isto é, a gravidade concreta do delito, demonstra a periculosidade do agente, em clara ameaça à sociedade. Apesar de Joel Rodrigo Avalo Santos não possuir antecedentes criminais, conforme documentos, a gravidade concreta do delito como exposta no parágrafo anterior é fator suficiente para manter a segregação cautelar”.

O inquérito acerca do crime ainda não foi concluído e outras testemunhas devem ser ouvidas. Até agora, só Jéssica defendeu o lutador. A mulher do primeiro casamento do conhecido Joel Tigre, disse que recorreu à Justiça contra o ex-marido que a concedeu um medida protetiva contra o rapaz.