TCE Novembro
Menu
segunda, 29 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Polícia

Justiça ordena que Rachel volte para o Presídio Militar

14 maio 2016 - 17h01Por Dany Nascimento

A primeira a ganhar benefício durante prisão temporária de cinco dias na 2ª Fase da Operação Lama Asfáltica - Fazendas de Lama, Rachel Giroto, que foi agraciada pela prisão domiciliar, terá que deixar o lar e cumprir a prisão preventiva decretada pela juíza federal Monique Marchioli Leite  no Presídio Militar.

Na decisão, a juíza destaca que mesmo sendo advogada, a esposa do ex-secretário estadual de Obras e ex-deputado federal Edson Giroto, terá que cumprir a prisão no presídio. Rachel cumpriu apenas um dia da prisão temporária no presídio, já que seus advogados de defesa entraram com pedido de prisão domiciliar, alegando que a mesma é advogada e possui uma filha pequena, que necessita dos cuidados da mãe na residência.

"No que tange Rachel, embora alegue em outros autos ser advogada, do ofício de f. 35 extrai-se que pode ser alojada no Presídio Militar, em sala especial", diz a decisão.

Além de Rachel, a Justiça decretou a prisão preventiva de oito investigados na Operação. Edson Giroto, João Amorim, Flávio Henrique Garcia, Ana Paula Amorim Dolzan, Rachel Rosa de Jesus Portela Giroto, Wilson Roberto Mariano de Oliveira, Mariane Mariano de Oliveira e Elza Cristina Araújo dos Santos, que devem permanecer mais 30 dias presos.

As prisões tiveram início na última terça-feira (10), com a prisão temporária de quinze envolvidos nas investigações. As prisões provisórias iriam vencer neste sábado e com a decisão, os advogados estudam novos pedidos de habeas corpus.