Menu
sábado, 26 de setembro de 2020
Polícia

Mãe admite ter injetado água sanitária em filha recém-nascida porque ‘não a amava’

Ela admitiu ter injetado por diversas vezes, durante 18 meses, água sanitária e sabão líquido na criança

20 fevereiro 2019 - 15h46Por Da redação / Portal Bebê Mamãe

Uma mãe admitiu ter injetado diversas vezes água sanitária e sabão líquido em sua bebê desde que a pequena tinha apenas um mês de vida. O caso, que ocorreu em Istambul na Turquia, só veio à tona quando a menina já tinha 18 meses e a própria mãe foi à polícia confessar seu crime.

Ao longo de todo este período a mãe, identificada pela imprensa local como Elif K, torturou sua filha. Em depoimento para a polícia, Elif afirmou: “Desde que ela tinha um mês de vida eu injetava sabão líquido e água sanitária em seus ouvidos, nariz e umbigo até começar a sangrar”.

Ela continuou e afirmou: “Então eu a levava para o hospital para tratamento. Quando ela voltava para casa, eu continuava a tortura. Eu também a cortava. Quando ela estava no hospital, eu também injetava o sabão liquido ou a água sanitária em suas veias, quando ninguém estava por perto”.

Elif vivia com o marido, Eray K e os três filhos em Avcilar, distrito de Istambul. Elif só confessou seu crime após sua filha ter sido internada pela terceira vez no hospital. Foi o pai quem levou a menina pela primeira vez para o hospital, ela estava com os ouvidos sangrando.

Nesta primeira ida ao hospital, os médicos não conseguiram identificar qual era o problema e a bebê voltou para casa. Quando sua condição piorou, aos 9 meses de vida, a menina foi levada para o hospital Istanbul University Medicine Faculty Hospital.

Após diagnosticarem que a pequena estava com uma fratura no crânio, arranhões e machucados no corpo inteiro, os médicos suspeitaram dos pais e entraram em contato com a polícia que iniciou uma investigação. A mãe foi interrogada, mas depois foi liberada após ter convencido os policiais que era inocente.

Quando a criança tinha 18 meses e foi levada para o hospital Kanuni Sultan Suleyman Hospital com a saúde ainda mais deteriorada, os médicos proibiram a mãe de ter acesso a sua filha. Foi só então que a saúde da menina começou a melhorar.

Diante da melhora, as suspeitas dos médicos de que a mãe estava cometendo maus tratos contra a filha aumentaram e a polícia foi contatada mais uma vez. Foi então que a mãe admitiu ter torturado a filha durante todos aqueles meses. Ela está presa e aguarda o julgamento. A criança está sob os cuidados do pai e sua saúde melhora a cada dia.

Leia Também

'Meu pai não consegue pagar as contas': adolescentes pensam em abandonar o ensino com pandemia
Geral
'Meu pai não consegue pagar as contas': adolescentes pensam em abandonar o ensino com pandemia
Decreto permite três viagens diárias de ônibus entre Corumbá e Campo Grande
Interior
Decreto permite três viagens diárias de ônibus entre Corumbá e Campo Grande
Mortes da covid voltam a crescer em Mato Grosso do Sul
CORONAVÍRUS
Mortes da covid voltam a crescer em Mato Grosso do Sul
Com rio Paraguai abaixo de 10 cm, Agência Nacional de Águas monitora impactos da seca
Interior
Com rio Paraguai abaixo de 10 cm, Agência Nacional de Águas monitora impactos da seca