TJMS - novembro
Menu
Busca segunda, 18 de novembro de 2019
Polícia

Mãe que agrediu e queimou criança por R$ 10 é solta; criança ficará recolhida

O menino teve a mão esquerda queimada no fogão da casa

10 julho 2019 - 11h39Por Dany Nascimento

Patrícia Oliveira Gutierrez, 25 anos, suspeita de agredir o filho de 6 anos com um triciclo e queimar a mão esquerda da criança, foi ouvida durante audiência de custódia nesta quarta-feira (10) e teve a liberdade provisória decretada. De acordo com a decisão, ela terá que cumprir medidas cautelares como comparece em juízo mensalmente, não se ausentar da cidade e comparecer a todos os autos processuais.

Já a criança, que relatou que apanha diariamente da genitora com cintadas e golpes desferidos por um cabo de vassoura, teve acolhimento provisório e a situação familiar será analisada pela justiça.  

O caso

Patrícia foi presa após agredir o filho de 6 anos com um golpe de triciclo na cabeça e queimar a mão esquerda da criança no fogão de um barraco de lona, na invasão Homex, localizada no bairro Centro Oeste, em Campo Grande. 

Policiais do 10° Batalhão da PM receberam uma denúncia anônima de que uma criança era torturada pela mãe dentro do barro e, ao chegar no local, encontraram o menino no quintal com sangramento no cabeça. Questionado pelos militares, a criança confirmou que a mãe lançou um triciclo contra sua cabeça.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o menino pegou R$ 10 na bolsa da mãe para comprar chicletes. Patrícia perguntou sobre o dinheiro ao garoto, que confirmou que pegou. Irritada, a mulher lançou o objeto contra a cabeça do menino e teria colocado a mão esquerda do filho no fogão, causando queimadura.

O menino disse aos policiais que é agredido pela mãe todos os dias com um cabo de vassoura e cintadas. A criança foi levada para UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Universitário e o Conselho Tutelar foi acionado.

Populares relataram, ainda, que a genitora faz a criança ingerir bebida alcóolica no local.  Ela foi presa e disse que a criança teria se queimado sozinha ao mexer no fogão da casa. O caso foi registrado na DEPCA (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente).