TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
sábado, 04 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Polícia

Megaoperação em conjunto com MT descobre depósitos de drogas em Campo Grande

A Captare também cumpre mandados em Coxim e Dourados

29 novembro 2018 - 09h18Por Diana Christie e Anna Gomes

A Operação Captare, deflagrada na manhã desta quinta-feira (29) pela Polícia Civil do Mato Grosso, com apoio das equipes militares sul-mato-grossenses, cumpriu dois mandados de busca e apreensão em Campo Grande e fechou um depósito de drogas comandado por um idoso.

De acordo com o delegado Reginaldo Salomão, da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), os policiais estiveram na Rua Padre João Delfino, bairro Itamaracá, na casa de Joase Vieira da Silva, 62 anos. No local foram encontradas apenas 260 gramas de maconha, mas a polícia acredita que a casa funcionava como um depósito de drogas.

Joase tem dois filhos presos e o sobrinho dele, que não teve a identidade revelada, é o segundo alvo da operação na Capital. O rapaz estaria em um presídio, mas continuaria comandando o transporte de drogas da fronteira até o estado vizinho, Mato Grosso.

A Captare também cumpre mandados em Coxim e Dourados. Na última cidade, Wallace Alberto Chireia de Souza, Maísa Oliveira Pereira e Ana Cláudia Pereira da Silvaforam presos, apontados como integrantes do grupo criminoso. Eles também participariam do envio de entorpecentes para Mato Grosso.

Captare

Na ação, são cumpridos 28 mandados de prisão preventiva, 22 de busca e apreensão e dois mandados de apreensão de veículos nas duas unidades da federação. De acordo com o G1, a quadrilha foi responsável pela movimentação de duas toneladas de maconha pelas rodovias dos dois Estados nos últimos quatro meses.

As investigações começaram há 4 meses no intuito de desarticular esquema que abastece as bocas de fumo da região de Cuiabá. O nome ‘Captare’ é de uma casta de anjo presente na obra literária de ficção Ignavos, escrita por um investigador de polícia desta Especializada.

Os Captares, ou rastreadores, como também são conhecidos, são tidos como uma espécie de “serviço secreto”, encarregados de caçar e procurar inimigos, aqui, fazendo uma referência aos traficantes.