TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 27 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Polícia

Menina de 3 anos que viu mãe ser morta não consegue dormir

Outros filhos da vítima também não querem falar do assunto

02 junho 2020 - 16h02Por Nathalia Pelzl

A filha de Marilei Ramos, 32 anos, vítima de feminicídio em Costa Rica, não consegue dormir, segundo família. A menina, de apenas 3 anos, estava no mesmo quarto em que a mãe e o namorado dela, Gilcione Rodrigues Martins, de 34 anos, foram assassinados.

 Os outros filhos de 8 e 11 anos dormiam no quarto ao lado. “As crianças estão com muito medo”, contou Jorge Ramos, pai de Marilei.

Ao site MS Todo Dia, ele disse que a menina não quer falar sobre o assunto, fica no cantinho dela chorosa e se esconde pela casa. “As crianças ficam chorando, não veem mais a mãe devido a um bandido que nem era nada deles”, lamentou.

Marilei era uma mulher querida por todos e muito ligada à família, sempre próxima dos parentes. “Todo mundo gostava dela, ninguém tinha problema com ela. Ela era muito agarrada com a mãe”, falou Jorge.

O pai ainda relembrou quando Marilei foi sequestrada pelo ex, Jair Soares de Oliveia, de 32 anos. “Ele agredia ela, fechava dentro de casa, amarrava as mãos, deixava ela sem sair”, contou.

Segundo Jorge ao site, a filha era mantida em cárcere porque o ex tinha medo que ela fosse até a casa dos pais e contasse o que passava em casa. “Agora está nas mãos da justiça”, disse.

O tio de Marilei, Edoildo Ramos contou que no dia do crime, a irmã de Gilcione foi até a casa da vítima, depois de estranhar que o irmão não foi tomar café na casa da mãe nem atendia ao celular. Pela janela do quarto, ela viu as vítimas caídas.

A testemunha chamou o tio de Marilei, que viu no quarto a menininha de apenas 3 anos abraçada na mãe, pedindo que ela acordasse, toda ensanguentada. “Tiramos ela dali, acordamos as crianças e tiramos elas da casa pelos fundos para que elas não vissem”, contou. Em seguida, a família chamou a polícia. “As crianças estão com a família, o Conselho Tutelar foi acionado e elas estão sendo acompanhadas por psicólogo. Estão há três noites sem dormir”, disse ao site MS Todo Dia.

Na manhã de hoje, a Polícia Civil, Polícia Militar e Perícia foram até a casa de Marilei com Jair, onde reproduziram o duplo homicídio.