(67) 99826-0686
Reviva centro

Miguel fez aniversário de três anos no dia de sua morte em incêndio no Nova Lima

O menino e o irmão, Caio Eduardo, de seis meses, morreram carbonizados

29 AGO 2016
Rodson Willyams e Anna Gomes
17h01min
Foto: Reprodução / Arquivo da família

Um dia após a tragédia ocorrida no bairro Nova Lima, em que dois meninos morreram carbonizados durante um incêndio, a família falou ao TopMídiaNews. Abaladas e ainda incrédulas com o caso, a bisavó e uma tia relataram o drama que viveram para tentar salvar a vida das crianças. O mais velho, Miguel, completou três anos ontem (28), segundo a família. 

De acordo com a bisavó Maria da Glória, 70 anos, que morava no fundo da residência, o casal, Deise e Talys Cunha de Souza, ambos de 19 anos, haviam se mudado há um mês para a casa alugada. A aposentada contou que escutou um barulho na casa, mas que não teria dado muito importância. 

"Achei que era uma briga de casal e não dei importância. O meu neto chegou gritando. pedindo para que desse água porque a casa estava pegando fogo e as crianças estavam lá dentro", conta, emocionada. 

Bisavó das crianças, Dona Maria da Glória, de 70 anos. Foto: Anna Gomes. 

Dona Maria contou à reportagem que chegou a encher um balde d'água quando começou a escutar várias explosões dentro da casa. "Nós não pudemos fazer nada", contou. As crianças estavam dormindo no quarto. 

Conforme a cozinheira Sônia Souza, de 50 anos, tia das crianças, o mais velho das crianças, chamado Miguel, completou, ontem (28), três anos de idade. O mais novo, de seis meses, chamava Caio Eduardo. A cozinheira ainda relatou que o incêndio teria começado após o botijão de gás explodir. O botijão seria da proprietária da residência, que havia cedido ao casal. Sônia ainda afirmou que o fogo se alastrou muito rápido pela casa e nada pode ser feito. 

Tia das crianças, Sônia Souza, de 50 anos. Foto: Anna Gomes. 

A família informou que o casal está na casa de parentes da mãe das crianças, e que os pais aguardam a liberação dos corpos, que estão no Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) de Campo Grande. 

Veja também