tce janeiro
Menu
quinta, 27 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Mulher denuncia abuso e xingamentos de promotora em condomínio

29 agosto 2015 - 16h30Por Vinícius Squinelo

Vania Oliveira de Almeida, funcionária do condomínio de luxo Vila Damha, localizado no bairro Tiradentes em Campo Grande, protocolou uma denúncia no Ministério Público Estadual após ter sido agredida verbalmente e humilhada por outra mulher, que se dizia promotora de Justiça.


Conforme o termo de declarações assinada por Vania, o caso ocorreu no dia 15 de agosto. Naquele dia, Vania, que atua como agente de portaria, atendeu um casal de visitantes, e solicitou o documento de identificação pessoal, procedimento habitual de segurança para adentrar o condomínio. Nesse momento, teriam começado as agressões.


“Vocês não sabem com quem estão mexendo” e “bando de bosta”. Foram algumas das humilhações alegadas por Vania. Além disso, diversas palavras de baixo calão foram proferidas aos funcionários.


Conforme a representação, o homem teria se identificado como Geraldo Coimbra Jacinto, enquanto a mulher se negou a dar o nome, se dizendo apenas promotora de Justiça. “Promotora tendo que esperar, olha o absurdo”, teria disparado a mulher.


Eles teriam adentrado no condomínio em alta velocidade, quase atropelando outro morador. Foi realizada uma reclamação ainda à pessoa que recebeu o casal como visitante.


A denúncia foi feita na 67ª Promotoria de Justiça do MPE, e encaminhada para a promotora de Justiça de Direitos Humanos Jaceguara Dantas da Silva.


Alcina Reis, que acompanha o caso, denunciou a situação nas mídias sociais. “Eu repudio isso. Promotora de Justiça racista e soberba! Um verdadeiro ataque de soberba, abuso de poder e racismo a tal Promotoa, fez contra a agente de portaria Vania Oliveira de Almeida, que trabalha na identificação de visitantes e moradores do luxuoso condomínio Villas Damha. Vania só estava desempenhando sua função e foi absurdamente atacada por alguém que deveria teoricamente pela função que exerce no mínimo ser educada. Até quando esses soberbos detentores do poder continuar humilhando os pobres trabalhadores”, questionou.