TCE Novembro
TJMS DEZEMBRO
Menu
quinta, 02 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Polícia

Mulher é condenada a 12 anos de prisão pela morte do ex-marido

Júri entendeu que a relação de confiança entre ambos facilitou as condições do crime e considerou a ré culpada por homicídio qualificado

18 outubro 2018 - 09h45Por Luis Abraham

Josiane Ferreira da Cruz, 29 anos, foi condenada a 12 anos de prisão em regime fechado pelo assassinato do vendedor Vagner Pinheiro Vargas. A vítima era ex-marido da autora e foi morto com um tiro nas costas em outubro de 2013. A sentença foi proferida após Tribunal do Juri realizado na tarde de quarta-feira (17) na Comarca de Dourados.

Junto da ré estava Fabiano Rodrigues dos Santos, 35 anos, até então ele era apontado como cúmplice da mulher, porém na decisão em despacho o suspeito acabou absolvido da condenação. 

O julgamento dos réus aconteceu na tarde de ontem (17) a partir das 13h30 e teve fim quase oito horas depois, às 21h05.

Josiane foi considerada culpada por homícidio qualificado, quando se faz uso de traição, emboscada, dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido.

Assim, conforme informações do Dourados News, o júri entendeu que por conta da relação de confiança da vítima com a ré, Vagner foi atraído para o local do crime em Dourados. Na época, a afirmação de Josiane era que a vítima não aceitava o fim do relacionamento.

O caso

Vagner tinha 29 anos e era vendedor em uma loja de parafusos e ferramentas em Dourados. No dia 4 de outubro de 2013 ele desapareceu após deixar o expediente.  Duas semanas depois, o corpo do rapaz foi encontrado próximo ao local conhecido como Travessão do Tucano, no distrito de Indápolis em Dourados.

O forte odor do cadáver atraiu trabalhadores que prestavam serviço na região, ao se aproximarem perceberam que havia um corpo desovado dentro de uma valeta.

A vítima já estava em estado avançado de decomposição. Peritos concluíram que ele foi assassinado com um tiro nas costas após ser espancado e ter o maxilar quebrado.