TCE ABRIL 16 A 22/04
Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Polícia

Mulher é perseguida pelo ex-marido e pede socorro: 'depois que ele me matar não adianta mais'

Ela afirma que já registrou várias denúncias contra o homem, que continua fazendo ameaças de morte

03 março 2021 - 07h00Por Dany Nascimento

Uma mulher de 40 anos está desesperada e diz que tem medo de ser assassinada pelo ex-marido, J.P.T., de 48 anos, que vive perseguindo a vítima no bairro Aero Rancho, em Campo Grande. 

Aos prantos, a mulher afirma que terminou o relacionamento há sete anos e não tem paz. “Estou casada, tenho um casal de filhos. Faço tratamento psicológico, ele não para de me perseguir, me manda mensagem de vários números diferentes. Eu não sei mais o que fazer, eu não contava para meu marido, sempre tive medo. Ele manda mensagem que me viu em casa lotérica, fala que vai acabar comigo, já fiz muitos boletins de ocorrência contra ele”.

Ela destaca que registrou uma nova ocorrência na Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher), solicitou medidas protetivas e tem medo de sair de casa. 

“Eu mudei de endereço, mas mesmo assim, ele me persegue. Me manda mensagens, quando separamos ele falou que eu nunca ia ter paz. Já teve audiência, a primeira vez ele foi absolvido da acusação. O juiz perguntou o que eu queria, falei que se eu pudesse eu matava ele, porque eu não tenho paz. Estou em pânico, tenho medo, ele não me deixa em paz”, conta a mulher chorando. 

A vigilante afirma que procurou a esposa do suspeito e relatou tudo que vem passando. “Eu falei para a esposa dele que eu quero paz, pedi para ela falar com ele. Estou com medo, depois que eu for morta, não adianta mais. Ele é réu primário, vai responder alguns anos, depois sai e são meus filhos que vão ficar sem mim. Depois que eu tiver dentro de um buraco, não adianta mais, eu quero ajuda”. 

Ela atualmente tem uma loja de roupas, mas não está abrindo o comércio por medo. “Tem uma semana que está tudo fechado, eu tenho medo dele descobrir e me matar. Eu não posso fazer propaganda da minha loja porque ele pode ver e vir fazer alguma coisa. Eu não posso mudar de cidade, porque minha vida está aqui. Ele viu meu filho e agora colocou na cabeça que é fruto de uma traição. Sendo que eu separei dele, casei e engravidei do meu filho”. 

“Agora eu tenho medida protetiva, mas ele pode fazer algo, esse homem tem que ser preso, mas a polícia está investigando tudo que ele faz comigo. Tudo quanto é prova, eu guardo para mostrar a tortura que ele vem fazendo comigo”, diz a vendedora.