Menu
segunda, 21 de setembro de 2020
Polícia

PF prende frentista suspeito de abusar de bebê em São Paulo

Detenção ocorreu em ação de combate à pornografia infantil na capital e no interior de São Paulo. Investigação começou após prisão de casal na Europa

18 maio 2019 - 12h01Por Redação/R7

Um frentista de um posto de combustíveis foi preso em flagrante nesta sexta-feira (17), no interior de São Paulo, em uma operação da Polícia Federal para identificar suspeitos de produzir e distribuir arquivos com conteúdo de abuso sexual de crianças e adolescentes na internet. Também foram cumpridos dois mandados de busca em virtude da ação, um deles na capital paulista, na residência de uma mulher que estaria envolvida com o esquema criminoso.

O suspeito, de 33 anos, que não teve a identidade revelada pelos agentes federais para não prejudicar as investigações, reagiu à prisão e tentou destruir computadores que haviam sido apreendidos e seriam analisados pela PF.

Segundo o delegado regional de investigação e combate ao crime organizado da Polícia Federal Marcelo Ivo de Carvalho, o frentista abusou sexualmente da filha, de 7 anos, e de um menino de dois anos, filho da companheira dele.

"Foram verificadas as redes sociais utilizadas por esse indivíduo e coletou-se que ele demonstrava desejo por praticar abusos contra crianças e em relação à sua filha", contou o policial.

O delegado federal demonstrou também surpresa pela descoberta da participação de mulheres no esquema de produção de material pornográfico envolvendo crianças, prática considerada incomum.

"Ele [o preso] mantinha contato com mulheres e as convencia a participar dos vídeos. As mulheres participavam de atos libidinosos, tocavam as crianças e praticavam sexo com elas", declarou o delegado da PF Marcelo Ivo de Carvalho.

O frentista foi indiciado por estupro de vulnerável, além do registro, manutenção e difusão de fotos e imagens de crianças na internet — peritos também encontraram material em sites da darkweb.

Investigação

A investigação teve início em março deste ano, após a prisão de um casal que abusava de crianças da própria família em um país do leste europeu, com o apoio da Interpol. Os suspeitos registravam e compartilhavam vídeos das práticas na internet. 

A partir do material apreendido, os policiais federais observaram que havia conteúdo produzido por brasileiros. O material foi enviado para o serviço de repressão a crimes cibernéticos, em Brasília, para identificar e localizar os suspeitos, em conjunto com a Superintendência da PF em São Paulo.

Leia Também

Dono de fazenda e réu por corrupção é investigado por incêndios no Pantanal
Geral
Dono de fazenda e réu por corrupção é investigado por incêndios no Pantanal
Homem é executado a tiros em conveniência do Zé Pereira
Polícia
Homem é executado a tiros em conveniência do Zé Pereira
Mulher retirada do lixão por atriz brasileira virou dona de bufê
Geral
Mulher retirada do lixão por atriz brasileira virou dona de bufê
Projeto sobre aumento da validade e de pontos da CNH volta para Câmara para ser votado hoje
Geral
Projeto sobre aumento da validade e de pontos da CNH volta para Câmara para ser votado hoje