tce janeiro
CNH - MOTO
Menu
sexta, 28 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Polícia caça mais uma cafetina envolvida em escândalo sexual com políticos

03 dezembro 2015 - 07h00Por Rodson Willyams

Mônica Matos de Souza, 36 anos, é mais uma envolvida na rede de exploração sexual de menores de idade, que resultou na perda de mandato do ex-vereador Alceu Bueno, e que atendia outros políticos e empresários de Campo Grande. Mônica foi apontada, durante as investigações do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), como uma das aliciadoras de menores para manter relações sexuais com políticos e empresários da cidade.


Segundo informações obtida pelo TopMídiaNews, Mônica fazia o mesmo trabalho de Rosidélia Alves Soares, 41 anos, e da filha Jorsiane Soares Correia, 25: o de aliciar adolescente mediante troca de dinheiro para fazer programas. No entanto, segundo as investigações, Mônica e Rosidélia atuavam de forma independente na mesma função.


O pedido de prisão preventiva foi decretado há 30 dias após solicitação do Gaeco à Justiça. Porém, mesmo antes de ser emitido o mandado judicial, Mônica já estava foragida e o até o momento a polícia segue à procura dela.


Caso 

A polícia começou a desvendar o esquema de prostituição depois que a mãe de uma adolescente do interior do Estado registrou boletim de ocorrência por sumiço da filha que, na verdade, estava em Campo Grande se prostituindo.

A adolescente entrou em contato com uma prima que mora na mesma cidade que sua mãe e fez convite para que também viesse para a Capital para fazer programas sexuais com homens da ‘alta sociedade’, que envolvia políticos e empresários. Com o objetivo de saber o paradeiro da desaparecida, o convite foi aceito.

Ao invés de vir para a Capital em busca do serviço de prostituta, a prima da adolescente passou o endereço para a mãe da adolescente, que veio a Campo Grande e encontrou a filha na casa do cinegrafista Fabiano Otero, onde havia um vasto material fotográfico e filmagens dela e outra adolescente mantendo relações sexuais com políticos.

A partir da denúncia da mãe e com o material em mãos, a polícia civil iniciou as investigações e começou a desvendar uma teia de prostituição. Quando o ex-vereador Alceu Bueno acionou a polícia denunciando que estava sendo extorquido pelo empresário Luciano Pageu e por ex-vereador Robson Martins e que já havia passado R$ 100 mil, a polícia já tinha o material que o envolvia no esquema de prostituição. Leia mais clicando aqui.


Após o caso vir à tona, o ex-vereador Alceu Bueno, teve que renunciar ao cargo na Câmara Municipal. Outro suposta vítima do esquema de extorsão foi o ex-deputado Sérgio Assis, que manteve encontro com uma das jovens aliciadas. Ambos foram considerados como vítimas e aguardam o resultado do processo em liberdade.

Fabiano Otero entrou com pedido de delação premiada e acabou entregando os outros membros da rede de exploração sexual, como Rosidélia, Jorsiane, Mônica e do empresário José Carlos Lopes, proprietário da Frizelo Frigoríficos Ltda. Por conta disto, encontra-se preso em regime domiciliar. Os demais envolvidos seguem presos na Capital. Já Karoline Alves Correia também filha de Rosidélia chegou a ser presa, mas no momento está solta. 

O caso foi encaminhado para o Fórum de Campo Grande, a denúncia foi aceita e o caso segue sendo investigado.