Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
MS DIGITAL - COMPET
Polícia

Policial militar que matou bioquímico em sala de cinema está em liberdade

E segue trabalhando administrativamente na Polícia Militar Ambiental em Dourados

14 agosto 2019 - 07h37Por Redação

O policial militar Dijavan Batista dos Santos, 37 anos, responsável pela morte do bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, 43 anos, está em liberdade e trabalhando na Polícia Militar Ambiental em Dourados.

O habeas corpus foi concedido pela Justiça e agora ele responde em liberdade.  Durante as investigações, ficou entendido que o disparo aconteceu após a briga do polícia com o bioquímico. Ao todo, 20 testemunhas foram ouvidas. Em seu depoimento, o PMA relatou que estava acompanhado com os filhos, 14  e  10 anos, ao lado da vítima, quando houve o desentendimento, no dia 8 de julho.  

Ao entrar na sala, Dijavan teria encontrado Júlio em outro assento ao lado da filha adolescente, se acomodando e deixando um dos meninos ao lado do bioquímico. Durante a sessão, ainda de acordo com a defesa do acusado, a vítima teria provocado o filho do policial abrindo os braços e as pernas, fazendo com que ambos trocassem de lugar. 

Minutos depois houve nova discussão. Dijavan alega que foi agredido com chutes e socos. Logo depois, Júlio levantou alegando que sairia da sala e, segundo a ocorrência, deu um tapa no rosto do menino. O suspeito ameaçou chamar a polícia e foi atrás da vítima. 

Na escadaria da sala de cinema, Júlio interpelou e puxou a camisa do policial. Em seguida o militar sacou a arma, pistola.40, e se identificou, momento em que a vítima foi para cima dele tentando pegar o objeto. Os dois entraram em luta corporal e caíram, momento em que ocorreu o disparo, conforme a defesa, acidental. O tiro atingiu Júlio no peito e transfixou o pescoço. 

Leia Também

Comerciante de 45 anos morre de covid em Dourados
Interior
Comerciante de 45 anos morre de covid em Dourados
Na Lata: em 2015 Bolsonaro desejava morte de Dilma, já hoje...
Na Lata
Na Lata: em 2015 Bolsonaro desejava morte de Dilma, já hoje...
Com covid, avó de Michelle Bolsonaro segue em estado grave no DF
Geral
Com covid, avó de Michelle Bolsonaro segue em estado grave no DF
PT é bloqueado no WhatsApp por suspeita de disparos em massa
Geral
PT é bloqueado no WhatsApp por suspeita de disparos em massa